ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, QUINTA  29    CAMPO GRANDE 24º

Meio Ambiente

Aberta licitação bilionária para empresa que cuidará do lixo na Capital

Por Elverson Cardozo | 24/05/2012 08:44
Proposta técnica e de preços deverão ser entregues na Comissão Especial de Licitação. (Foto: Arquivo)
Proposta técnica e de preços deverão ser entregues na Comissão Especial de Licitação. (Foto: Arquivo)

A Prefeitura de Campo Grande abriu concorrência para contratação de empresa que ficará responsável pelo gerenciamento do lixo em Campo Grande.

As propostas técnicas e de preços deverão ser entregues até às 14h do dia 16 de junho.

A contratação deve ser pelo prazo de 25 anos e a previsão é de faturamento mensal de R$ 5 milhões. Como são 300 meses, o faturamento previsto é de R$ 1,5 bilhão.

A empresa ficara responsável pelos "serviços públicos de limpeza urbana e manejo de resíduos sólidos, consistindo em coleta, transporte, destinação, tratamento e disposição final"

A empresa, conforme o edital de licitação, vai operar três aterros: o Dom Antônio Barbosa I, onde hoje está a maior parte do lixo de Campo Grande, e que deverá ser desativado e receber tratamento adequado do lixo; o Dom Antônio II, que está em fase de implantação, e um terceiro, denominado “Erêguaçu”, a ser ser implantado.

Trata-se de uma parceria público-privada, cujo critério de julgamento será o da melhor proposta resultante da combinação da melhor técnica com o menor valor da contraprestação a ser paga pela Administração Pública.

Empresas interessadas podem obter, mediante pagamento de R$ 1 mil, a pasta de especificações e bases da licitação na Secretaria Municipal de Administração - Central Municipal de Compras e Licitações, que fica na avenida Afonso Pena, 3297.

A proposta técnica e de preços deverão ser entregues na Comissão Especial de Licitação.

Problema antigo-A instalação de um aterro sanitário é exigência que consta de um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta), firmado após o MPE (Ministério Público Estadual) mover ação contra a Prefeitura por causa da destinação inadequada do lixo na cidade e também da presença de crianças no lixão.

A produção anual do lixo na Capital chega a 252 mil toneladas. Se empilhado, o montante resultaria em 42 prédios de 18 andares.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário