ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MAIO, SEXTA  24    CAMPO GRANDE 25º

Meio Ambiente

Aberta licitação bilionária para empresa que cuidará do lixo na Capital

Elverson Cardozo | 24/05/2012 08:44
Proposta técnica e de preços deverão ser entregues na Comissão Especial de Licitação. (Foto: Arquivo)
Proposta técnica e de preços deverão ser entregues na Comissão Especial de Licitação. (Foto: Arquivo)

A Prefeitura de Campo Grande abriu concorrência para contratação de empresa que ficará responsável pelo gerenciamento do lixo em Campo Grande.

As propostas técnicas e de preços deverão ser entregues até às 14h do dia 16 de junho.

A contratação deve ser pelo prazo de 25 anos e a previsão é de faturamento mensal de R$ 5 milhões. Como são 300 meses, o faturamento previsto é de R$ 1,5 bilhão.

A empresa ficara responsável pelos "serviços públicos de limpeza urbana e manejo de resíduos sólidos, consistindo em coleta, transporte, destinação, tratamento e disposição final"

A empresa, conforme o edital de licitação, vai operar três aterros: o Dom Antônio Barbosa I, onde hoje está a maior parte do lixo de Campo Grande, e que deverá ser desativado e receber tratamento adequado do lixo; o Dom Antônio II, que está em fase de implantação, e um terceiro, denominado “Erêguaçu”, a ser ser implantado.

Trata-se de uma parceria público-privada, cujo critério de julgamento será o da melhor proposta resultante da combinação da melhor técnica com o menor valor da contraprestação a ser paga pela Administração Pública.

Empresas interessadas podem obter, mediante pagamento de R$ 1 mil, a pasta de especificações e bases da licitação na Secretaria Municipal de Administração - Central Municipal de Compras e Licitações, que fica na avenida Afonso Pena, 3297.

A proposta técnica e de preços deverão ser entregues na Comissão Especial de Licitação.

Problema antigo-A instalação de um aterro sanitário é exigência que consta de um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta), firmado após o MPE (Ministério Público Estadual) mover ação contra a Prefeitura por causa da destinação inadequada do lixo na cidade e também da presença de crianças no lixão.

A produção anual do lixo na Capital chega a 252 mil toneladas. Se empilhado, o montante resultaria em 42 prédios de 18 andares.

Nos siga no Google Notícias