ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SÁBADO  31    CAMPO GRANDE 19º

Meio Ambiente

Área do Parque dos Poderes será desmatada para construção de prédio

Deputados pediram explicações sobre a obra ao governo estadual

Por Mariana Castelar e Leonardo Rocha | 09/06/2016 13:31
Deputado Paulo Correa (PR) fala sobre a construção do prédio da Procuradoria Geral do Estado, no Parque dos Poderes (Foto: Assessoria ALMS)
Deputado Paulo Correa (PR) fala sobre a construção do prédio da Procuradoria Geral do Estado, no Parque dos Poderes (Foto: Assessoria ALMS)

Uma área localizada ao lado do estacionamento da Assembleia Legislativa, no Parque dos Poderes, está sendo desmatada para a construção do prédio da PGE (Procuradoria Geral do Estado). A denúncia foi feita pelo deputado estadual Paulo Corrêa (PR), durante a sessão na Assembleia. Para explicar o projeto, representantes da PGE e da Secretaria de Obras irão até a Assembleia na próxima terça-feira (14). Até lá, a obra ficará parada.

O deputado Paulo Corrêa, juntamente com o deputado e presidente da comissão de Meio Ambiente, Amarildo Cruz (PT), pediram informações sobre a construção, o estudo ambiental e o impacto que causará na região, além do tempo da obra. “O que pedimos são esclarecimentos, já que não tivemos conhecimento do projeto”, diz o petista.

Corrêa diz que entende que o governo do Estado tem essa prerrogativa. “Só gostaríamos de saber a questão do impacto ambiental, os estudos realizados sobre este ponto”.

O desmatamento, segundo a Agesul, será a menor possível neste estágio da obra, necessária e suficiente apenas para a execução das sondagens do terreno. (Foto: Alcides Neto)
O desmatamento, segundo a Agesul, será a menor possível neste estágio da obra, necessária e suficiente apenas para a execução das sondagens do terreno. (Foto: Alcides Neto)

A assessoria da Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos), diz que está ocorrendo uma supressão vegetal no local para atender uma antiga e necessária reivindicação da PGE, que hoje funciona no Parque dos Poderes com área insuficiente, e por conta disso aluga outros imóveis para alojar alguns de seus setores.

O desmatamento, segundo a Agência, será a menor possível neste estágio da obra, necessária e suficiente apenas para a execução das sondagens do terreno. Além disso, eles afirmam que houve todo o embasamento legal ambiental, como norma de procedimento da atual gestão da Seinfra (Secretaria de Estado da Infraestrutura ) e da própria PGE.

O projeto arquitetônico já foi realizado pela Agesul, que ainda irá licitar e contratar os demais projetos como sanitário, elétrico,hidráulico, portanto, a Agência ainda não definiu uma data para início de obras ou conclusão.

Área desmatada fica localizada ao lado do estacionamento da Assembleia Legislativa  (Foto: Alcides Neto)
Área desmatada fica localizada ao lado do estacionamento da Assembleia Legislativa (Foto: Alcides Neto)
Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário