ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, TERÇA  20    CAMPO GRANDE 21º

Meio Ambiente

Com Luciano Huck padrinho, campanha busca recursos para Brigada no Pantanal

Intenção é contratar brigadistas, equipamentos e medicamentos para tratamento de animais vítimas de incêndios

Por Liniker Ribeiro | 15/09/2020 14:18
Campanha busca recursos para Brigada fixa na Serra do Amolar e também no Porto do Jofre; moradores têm sido treinados por equipes do Prevfogo (Foto: Elias Campos Ecoa)
Campanha busca recursos para Brigada fixa na Serra do Amolar e também no Porto do Jofre; moradores têm sido treinados por equipes do Prevfogo (Foto: Elias Campos Ecoa)

Além de discutir a situação dos incêndios que estão castigando o bioma pantaneiro, a live promovida pela Brigada Alto Pantanal, que será realizada esta noite (15) e contará com a participação de especialistas e artistas nacionais, também marcará o lançamento de campanha que busca arrecadar recursos que serão utilizados na implantação de unidade brigadista na região da Serra do Amolar, em MS, e do Porto do Jofre, no MT.

Com Luciano Huck de padrinho, a campanha busca garantir a contratação de brigadistas e compra de equipamentos para combate e prevenção de incêndios na região.

“Hoje nós temos um número de brigadistas que não é suficiente para atender as grandes frentes e a ideia é termos uma capacidade operacional, o que inclui recursos humanos e equipamentos, para fazer o trabalho preventivo“, explica coronel Ângelo Rabelo, do IHP (Instituto Homem Pantaneiro).

Rabelo ressalta ainda que, atualmente, equipes do Prevfogo prestam auxílio nas frentes de trabalho, mas que o ideal é ter equipes atuando o ano inteiro.

Brigada combate as chamas altas no Pantanal de Corumbá.(Foto: PrevFogo)
Brigada combate as chamas altas no Pantanal de Corumbá.(Foto: PrevFogo)

“Em Mato Grosso do Sul, especialmente no Pantanal, o Prevfogo é contratado a partir de julho e, nos últimos dois anos, enfrentamos fogo desde janeiro. Então você fica um período desguarnecido, existe uma movimentação do Ibama para que os brigadistas fiquem por uma período mais longo, mas ainda não é fato”, complementa.

Outra situação que ilustra a necessidade da brigada na região, conforme o coronel, é a distância. Sem apoio aéreo, como tem sido atualmente, o deslocamento até a região é de cerca de 4 horas. “Isso dificulta o trabalho”, ressalta.

Antes mesmo de ser lançado, o movimento já arrecadou recursos para compra de motobombas e dois barcos com motor, resultado de doações, inclusive da Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura).

Entre os trabalhos desenvolvidos pelos brigadistas, atualmente, está a orientação e capacitação de moradores. Desde ontem, comunidades treinamento da equipe Prevfogo, para que a prevenção na região seja ainda maior.

Recursos – Ainda segundo Rabelo, 10% do valor total arrecadado durante a live desta terça-feira será destinado à compra de medicamentos e equipamentos para atender animais silvestres vítimas de incêndios que atingem o Pantanal.

Debatem durante a live o diretor do IHP (Instituto Homem Pantaneiro), coronel Ângelo Rabelo, o biólogo Hugo Fernandes, e Alexandre Pereira, do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis).

A discussão também contará com a participação do documentarista Lawrence Wahba e dos atores Otaviano Costa e Ingrid Guimarães. A live será transmitida no canal da Brigada Alto Pantanal, no YouTube, a partir das 20h (de MS).

Área queimada - O Ibama já calcula que foram consumidos pelo fogo área de 2,2 milhões de hectares, equivalente a 13% do total.

O Pantanal registrou neste ano 15.453 focos de queimadas, aumento de 220% em relação ao mesmo período do ano passado, de acordo com o Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais).

Somente em Corumbá são 4.961 focos de calor computados, permanecendo como o município com mais queimadas do País.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário