ACOMPANHE-NOS    
MARÇO, SEGUNDA  30    CAMPO GRANDE 27º

Meio Ambiente

Depois de cinco horas em árvore, jaguatirica é sedada e capturada

Por Waldemar Gonçalves e Renata Volpe Haddad | 12/03/2016 13:08
Depois de cinco horas em árvore, jaguatirica é sedada e capturada

Depois de quase cinco horas de paciência e cansaço, para ambos os lados, policiais militares ambientais e pessoal do Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul) conseguiram capturar uma jaguatirica que estava em árvore no quintal de residência no Jardim Canguru, região Sul de Campo Grande.

Até o fechamento deste texto, a equipe de resgate aguardava que o tranquilizante aplicado na jaguatirica fizesse efeito para, então, colocar o animal na viatura da PMA (Polícia Militar Ambiental) e levá-la para o Cras (Centro de Reabilitação de Animais Silvestres).

O resgate só foi possível depois que a equipe, literalmente, cutucou o felino e aplicou nela um tranquilizante, com a ajuda de uma zarabatana – um tubo em que, com um sopro, é possível impelir o dardo com o sedativo. Assustada, a jaguatirica desceu da árvore e bateu no portão casa, quando então foi imobilizada com a ajuda de uma rede e outra dose foi aplicada.

Segundo o sargento Ezequias, da PMA, a jaguatirica é um macho de aproximadamente dois anos. A presença do animal foi notada depois que o cão da casa, que fica na Rua Cutia, começou a latir.

A moradora, ainda não identificada, ficou durante todo o tempo de resgate sem poder sair da casa. A área foi isolada, diante da possibilidade de o animal escapar.

Os policiais ressaltaram que a jaguatirica estava cansada. É possível que ela viva em alguma propriedade rural próxima, estava bastante cansada e teria ido até a área urbana em busca de alimento.