ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, DOMINGO  23    CAMPO GRANDE 22º

Meio Ambiente

Deputados aprovam em 1ª votação projeto que proíbe pesca do dourado

Deputados estaduais aprovaram proposta em primeira votação e após avaliação de comissões, será votada novamente

Elci Holsback e Leonardo Rocha | 06/04/2017 12:18
Beto Pereira defende que proibição não prejudica o Estado (Foto: ALMS)
Beto Pereira defende que proibição não prejudica o Estado (Foto: ALMS)

Foi aprovado em primeira votação, na sessão desta quinta-feira (6) na ALMS (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul) o projeto que proíbe por oito anos a pesca do peixe dourado em rios do Estado. A definição do tema só acontece após a segunda votação, ainda sem data marcada.

A proposta, apresentada pelo deputado estadual Beto Pereira (PSDB) tem o objetivo de reduzir a escassez e logo, a possível extinção da espécie nos rios que banham Mato Grosso do Sul. "O dourado é muito apreciado pelo seu sabor, por isso os cardumes têm ficado cada vez mais escassos em função da captura", avaliou o parlamentar, destacando que No Mato Grosso, Paraná e Goiás, além de países como Argentina e Uruguai, já há leis que proíbem a pesca do peixe.

Ele afirma ainda que a medida não vai influenciar na renda dos pescadores profissionais, já que o dourado é apenas o oitavo na lista de espécies comercializadas no Estado. Na votação de hoje, o projeto foi aprovado por unanimidade, mas divide opiniões no Legislativo Estadual.

Herculano Borges (SD) destacou que votou a favor devido a legalidade da proposta, mas terá postura diferente na segunda votação, que ocorre após análise da proposta por comissões da Casa. "Votei porque o projeto é legal, mas na segunda votação serei contra, pois, a proposta é prejudicial ao Estado", avalia o parlamentar.

Os peemedebistas Antonieta Amorim e Paulo Siufi, assim como a bancada petista da Assembleia disseram não ter posicionamento definitivo sobre a suspensão da pesca e, alegaram que estudarão o caso até a segunda votação.

Já Paulo Corrêa (PL) defendeu a legalização do fim da pesca de dourado, utilizando os países vizinhos Argentina e Uruguai como exemplo a ser seguido. "Nesses países que os brasileiros visitam, só é permitida a pesca no modelo pesque e solte", comentou Corrêa. 

Animal é  bastante comum em rios de MS. (Foto: Peixes de Bonito)
Animal é bastante comum em rios de MS. (Foto: Peixes de Bonito)

Lei - Em municípios como Aquidauana e Corumbá, que possuem legislações próprias sobre o assunto, a proposta estende a proibição também da comercialização, transporte, embarque e a industrialização da espécie, permitindo apenas a modalidade esportiva de pesque e solte.

A proposta entrou na pauta de votação quase cinco meses após sua apresentação, em dezembro de 2016. Nos últimos meses, o assunto foi debatido em reuniões e Audiência Pública, com participação de profissionais da área, PMA (Polícia Militar Ambiental), OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), empresários, pescadores e representantes políticos de outros municípios.

Em novembro do ano passado, aconteceu em Campo Grande reunião para debater a suspensão da pesca especificamente nos rios de Corumbá, onde a Lei Municipal nº 2.237/2011 foi avaliada. Após cinco anos de suspensão da pesca, com prazo vencido em 31 de janeiro deste ano, o objetivo era viabilizar a suspensão por pelo menos mais cinco anos.

"A proibição é justificada no caso do risco de extinção. Precisamos verificar todo o sistema e não focar em apenas uma espécie. A sociedade está preocupada com as questões ambientais, precisamos pensar e respeitar as formas de manter esse equilíbrio, através dos cuidados com o habitat do peixe e o ambiente em torno", avaliou na época o tenente-coronel da PMA, Edmilson Queiróz.

Nos siga no Google Notícias