ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, TERÇA  18    CAMPO GRANDE 26º

Meio Ambiente

Desmatamento no Pantanal tem queda, mas Corumbá é o maior devastador do bioma

Município aparece em primeiro lugar em extensão de área desmatada e degradação do ecossistema

Por Kamila Alcântara | 08/05/2024 15:45
Área do Pantanal desmatada em Mato Grosso do Sul (Foto: Divulgação/SOS Pantanal)
Área do Pantanal desmatada em Mato Grosso do Sul (Foto: Divulgação/SOS Pantanal)

Apesar da diminuição de 9,2% nas áreas desmatadas no Pantanal, de 2022 para 2023, nesta quarta-feira (8) o Sistema de Detecção de Desmatamento em Tempo Real, o Deter, alerta que a supressão da vegetação nativa pantaneira tem apresentado níveis elevados nos últimos anos.

Os dados são divulgados pelo Prodes (Coordenação-Geral de Observação da Terra), do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais). Por conta disso, houve  a necessidade de ativar o Deter, com uso de satélites. O trabalho teve início em agosto do ano passado e é revisado a cada três dias.

Gráfico mostra o aumento de área de desmatamento do Pantanal por município, de 2022 para 2023 (Arte: Bárbara Campiteli)
Gráfico mostra o aumento de área de desmatamento do Pantanal por município, de 2022 para 2023 (Arte: Bárbara Campiteli)

A diminuição de áreas desmatadas leva em consideração o bioma em Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Desde as grandes queimadas registradas de 2021, o Sul caminha gradativamente na diminuição desses resultados. Gráficos mostram que, naquele ano, perdemos 90% do bioma, no ano seguinte 78,9% e hoje estamos em 71%.

Porém, é preciso destacar que seis municípios de Mato Grosso do Sul são os principais responsáveis pelas áreas com árvores derrubadas, sendo 381,97 km² só em Corumbá no último ano.

Desde o início da série histórica do Inpe, em 2014, o Pantanal de Mato Grosso do Sul saiu de 238,13 km² desmatados para 623,17 km² no ano de 2022. Ou seja, pelos dados do Prodes, apenas 30% da área pantaneira não sofreu nenhuma degradação nesse período.

Municípios que mais registraram desmatamento este ano, segundo o Deter (Arte: Bárbara Campiteli)
Municípios que mais registraram desmatamento este ano, segundo o Deter (Arte: Bárbara Campiteli)

Outro dado importante apresentado pelo painel é que os territórios indígenas que mais sofreram com o desmatamento do bioma foram os kadiwéu, no oeste do Estado, na região de Porto Murtinho, e o taunay de Miranda. As áreas somadas chegam a 86,9% das áreas de povos originários no Pantanal atingidos.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias