ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, SÁBADO  22    CAMPO GRANDE 24º

Política

Governo de MS discutirá fundo do Pantanal com países da União Europeia

Governador informou que irá a Brasília amanhã para reunião com representantes de 12 países

Por Maristela Brunetto e Fernanda Palheta | 06/05/2024 11:17
Ao falar sobre MS Day e investimentos, Riedel anunciou reunião com países europeus para debater preservação ambiental (Foto: Marcos Maluf)
Ao falar sobre MS Day e investimentos, Riedel anunciou reunião com países europeus para debater preservação ambiental (Foto: Marcos Maluf)

O Governo do Estado vai retomar com países da União Europeia debate sobre investimentos na área ambiental no Pantanal. O governador Eduardo Riedel informou que haverá reunião nesta terça-feira, em Brasília, com representantes de 12 países na Embaixada do bloco.

Ele informou que os debates que o Estado tem promovido sobre a preservação do Bioma despertou interesse dos países. Há interesse em captar doações a exemplo do que ocorre com o Fundo Amazônia para a preservação e também há movimentação de divulgar a possibilidade de remuneração de serviços ambientais para proprietários rurais que preservam suas áreas, retendo carbono na natureza.

Com a criação de legislações, há demanda crescente nesse setor. Muitos países estão mais avançados sobre o debate que o Brasil, que ainda precisa concluir a aprovação de lei sobre o tema. A lógica é que quem produz e gera poluição precisa investir em iniciativas ambientais de preservação. O Estado tem divulgado que pretende alcançar a condição de carbono neutro até o ano de 2030 e a remuneração para quem precisa passou a ser discutida com frequência.

O titular da Semadesc (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação), Jaime Verruck, e o secretário-executivo de Meio Ambiente da Semadesc, Arthur Falcette, estiveram em março na Bélgica, onde funcionam os órgãos da União Europeia, para debater as restrições ambientais que o bloco impõe para quem quer exportar aos países membros e na ocasião já falou sobre o Fundo Pantanal, previsto na legislação aprovada no final do ano passado sobre o bioma. O Executivo previu uma capitalização inicial de R$ 40 milhões por parte do Governo, mas pretende obter recursos de outros setores.

Há cerca de um mês, em entrevista ao Campo Grande News, o governador apontou a valorização das florestas diante dos debates em torno da retenção de carbono na natureza par conter o efeito estufa e as mudanças climáticas. “Você quer política antidesmatamento mais eficiente do que a financeira?”, disse na ocasião, sobre a remuneração a quem preserva. “Eu quero transformar esse ativo ambiental que a gente tem em recurso, em valor para o sistema produtivo nosso”, completou.

Visita de suíços – Esta manhã, durante evento para divulgar como será a participação do Estado no MS Day, que ocorrerá em Nova Iorque, Riedel também comentou sobre a vinda ao Estado de membros da Embaixada da Suiça, com a presença de interlocutor de um “hub” empresarial em busca de oportunidades de negócio em Mato Grosso do Sul. Ele mencionou o esforço do governo em captar iniciativas para o desenvolvimento econômico do Estado, para gerar mais empregos, com o desafio do Governo em ampliar acesso a qualificação e educação.

Ainda esta manhã, ele voltou a falar sobre a posição do Estado de 4ª melhor renda média, mas desafio ainda é ofertar melhores salários para quem está na base do mercado de trabalho, sendo que o setor industrial oferece melhores remunerações.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias