ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, SÁBADO  15    CAMPO GRANDE 29º

Meio Ambiente

Em 24h, três fazendeiros são autuados por desmatamento ilegal em MS

Ao todo, PMA estima degradação de pelo menos 150 hectares só em ocorrências registradas neste final de semana

Por Guilherme Correia | 12/07/2020 12:50
Vegetação era extraída ilegamente em fazenda no município de Jardim (Foto: Divulgação: PMA)
Vegetação era extraída ilegamente em fazenda no município de Jardim (Foto: Divulgação: PMA)

Durante o fim de semana, a PMA (Polícia Militar Ambiental) autuou três proprietários rurais pelos crimes de desmatamento ilegal, nos municípios de Jardim, Bela Vista e Paranhos. Ao todo foram contabilizados mais de 150 hectares de vegetação nativa removidas.

Morador de São Paulo (SP), de 32 anos, foi autuado no início da tarde em R$ 9,6 mil por derrubar ilegalmente 32 árvores para exploração de madeira, em fazenda no município de Jardim, a 233 quilômetros de Campo Grande.

A propriedade beirava a rodovia BR-267, distante aproximadamente 75 km do perímetro urbano. O infrator não possuía autorização do Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul) e arrancava as árvores pela raiz por meio de tratores.

Entre as espécies da vegetação que foram desmatadas, haviam árvore de Bocaiúva, Angico, Louro, Mandiocão e Pau Terra, cuja madeira era vendida ilegalmente. A área correspondia cerca de 30 hectares de pastagem.

Na fronteira - Em fazenda no município de Bela Vista, a 322 quilômetros da Capital, comerciante, 63, terá de pagar R$ 37,5 mil por desmatar e explorar ilegalmente madeira em 120 hectares de Cerrado. Foram utilizadas no fim da tarde de sexta-feira (10) imagens de satélites para verificar a área afetada, que já estava com plantio de pastagem para que fosse realizada pecuária.

Segundo dados do Inpe (Instituto de Pesquisas Espaciais), o bioma em MS teve aumento expressivo na taxa de desmatamento ilegal em 2019, se comparado a 2018.

Além disso, em Paranhos, município distante 468 quilômetros de Campo Grande, a PMA autuou morador de assentamento em R$ 7 mil por desmatamento ilegal de área de Mata Atlântica, bioma que compõe 18% da vegetação do Estado.

Já durante a manhã, o homem, 54, desmatava aproximadamente 0,4 hectares de reserva ambiental protegida por lei federal, fazendo uso de máquina, arrancando árvores de grande porte pela raiz. Ele responderá por crime ambiental, e pode ficar preso até três anos.

Vegetação nativa de Mata Atlântica era desmatada por proprietário (Foto: Divulgação/PMA)
Vegetação nativa de Mata Atlântica era desmatada por proprietário (Foto: Divulgação/PMA)