ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, QUINTA  06    CAMPO GRANDE 20º

Meio Ambiente

Força-tarefa controla focos de incêndio na região do Paraguai-Mirim

Ação de combate as queimadas na região do Paraguai-Mirim foi concluída

Por Gabriel Neris | 10/07/2020 15:10
Focos próximos a escola do Jatobazinho, na região do Paraguai-Mirim (Foto: Divulgação)
Focos próximos a escola do Jatobazinho, na região do Paraguai-Mirim (Foto: Divulgação)

A ação de combate aos incêndios florestais no Pantanal de Corumbá, a 419 km de Campo Grande, foi concluída na região do Paraguai-Mirim, onde está a escola rural do Jatobazinho. Com a antecipação de focos diante da estiagem prolongada, o Estado criou uma rede permanente de combate às queimadas. Os investimentos somam R$ 23 milhões.

O comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Joílson Alves do Amaral, aponta que este comprometimento amplia o poder de resposta aos grandes incêndios. “Nossa capacidade operacional evoluiu significativamente com os investimentos do governo”, diz.

Foi anunciada por R$ 10 milhões a aquisição, com recursos do Estado, de uma aeronave de combate aos incêndios, modelo Air Tractor, com capacidade para transportar 3 mil litros de água.

Também estão previstos investimentos de R$ 13 milhões, via governo federal, para a compra de viaturas adequadas para combate em terrenos extremos. “Estamos criando uma frente de prevenção para enfrentarmos situações mais críticas este ano”, completou o comandante.

Durante o combate aos focos na região do Paraguai-Mirim foram empregados 20 pessoas, com o apoio de tratores de esteiras na abertura de 3,5 km de aceiros. A área queimada atingiu 3 mil hectares.

“As ações do governo, demonstradas com essa força-tarefa, envolvendo várias instituições, inclusive de outros Estados, foram fundamentais para debelarmos esses incêndios e garantirmos a integridade dos nossos recursos naturais e a saúde das pessoas”, afirma o titular da Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), Jaime Verruck. “Hoje temos uma estrutura pronta, com o governo investindo na parte operacional mesmo com todas as atenções voltadas à pandemia do coronavírus”, observa.

Jaime Verruck destacou ainda as medidas preventivas adotadas para o controle das queimadas florestais e urbanas, criando uma legislação específica, como a moratória a queima controlada, que em Mato Grosso do Sul está em vigor entre 1º de agosto e 31 de outubro. “Se for necessário, vamos decretar estado de emergência com o agravamento da situação, hoje controlada”, disse.