A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 26 de Junho de 2017

15/06/2017 16:09

Inverno chega dia 21 com chuva que derruba temperatura para 9ºC

Estação mais fria do ano será mais úmida que as anteriores, segundo meteorologista

Anahi Zurutuza
Homem em rua da Capital numa manhã fria e chuvosa deste mês; inverno terá dias assim (Foto: Marcos Ermínio/Arquivo)Homem em rua da Capital numa manhã fria e chuvosa deste mês; inverno terá dias assim (Foto: Marcos Ermínio/Arquivo)

Apesar do frio já ter dado as caras, derrubando a temperatura para 2,8ºC no dia 10 de junho – o mais gelado do ano até agora –, o inverno em Mato Grosso do Sul só começa às 00h24 do dia 21 de junho, próxima quarta-feira.

A estação, que só termina em 22 de setembro, terá mais chuva e, portanto, será mais úmida que em anos anteriores. O maior frio está previsto para o período de 5 a 17 de julho.

Segundo o meteorologista Natálio Abrahão, da estação meteorológica da Uniderp, por causa da umidade, “o frio pode vir acompanhado de nevoeiros, nuvens baixas e possibilidade de geadas em Dourados, Sete Quedas e região”.

Neste ano, conforme o prognóstico, o inverno já chega fazendo a temperatura declinar para menos de 9ºC nas cidades do sul do Estado e 13ºC em Campo Grande. A próxima frente fria avança sobre Mato Grosso do Sul na segunda-feira (19).

“A frente chega pelo sul do Estado com chuvas isoladas e ventos em rajadas. Essas chuvas de fraca intensidade devem atingir o sudeste, sul e sudoeste, mas não deve chover no norte, oeste e nordeste. Logo atrás, vem a massa de ar polar”, detalha o especialista.

Características – O início da estação é caracterizado pelo solstício de inverno. O fenômeno faz as noites duraram mais e o período entre o nascer e pôr-do-sol durar menos tempo.

Neste ano, à noite entre os dias 20 e 21 de junho durará em torno de 14 horas e dia mais curto do ano, o primeiro do inverno, terá em torno de 10 horas.

“Outro aspecto meteorológico que se observará durante o inverno, são as prováveis inversões térmicas que causam nevoeiros e neblinas, além de névoa seca e fumaça quando a umidade situar-se em valores críticos, abaixo dos 20%”, explica Natálio Abrahão.

Nevoeiros são formados por gotículas d’água que flutuam no ar e reduzem a visibilidade a menos de 1 mil metros e ocorrem geralmente pela manhã, quando há mais umidade. Já a névoa seca ocorre à tarde. “O ar seco e o vento calmo favorecem a formação da bruma – substâncias sólidas suspensas na atmosfera, tais como poeira e fumaça – poluindo o ar”, completa o meteorologista.

Segundo Natálio, como há previsão de mais chuva para este ano, fica difícil prever se haverá grandes períodos de estiagem, outra característica do inverno. “O mais provável será ausência de estiagens prolongadas”.

Temperatura – No Estado, as mínimas serão de em média 14ºC e as máximas vão variar entre 28ºC e 34ºC em pleno inverno. Mas, há possibilidade de gear nos municípios do sul como Dourados, Ponta Porã, Amambai, Naviraí e Ivinhema.

“As chances de geadas em Campo Grande são mínimas, abaixo de 20%”, garante o meteorologista.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions