A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 19 de Setembro de 2018

14/09/2018 19:42

Operação contra o desmatamento ilegal aplicou R$ 6,2 milhões em multas

Foram identificadas cerca de 1.094 hectares de Mata Atlântica e Cerrado devastadas em Mato Grosso do Sul

Adriano Fernandes
Fiscal do Ibama em uma das áreas devastadas ilegalmente no Estado. (Foto: Divulgação Ibama) Fiscal do Ibama em uma das áreas devastadas ilegalmente no Estado. (Foto: Divulgação Ibama)

Operação nacional no combate ao desmatamento ilegal identificou em Mato Grosso do Sul cerca de 1.094 hectares de Mata Atlântica e Cerrado devastadas, conforme balanço divulgado nesta sexta-feira (14).

No total, foram expedidos 50 autos de infração em 5 municípios vistoriados pela PMA (Policia Militar Ambiental) e por agentes ambientais federais, e onde foram aplicadas cerca de R$ 6.243.810.00 em multas aos donos das propriedades.

Conforme o Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), apesar dos trabalhos terem sido focados em áreas de Mata Atlântica, todos os alvos foram identificados dentro da mesma operação.

No Cerrado, por exemplo, foram embargadas 14 áreas e nas regiões de Mata Atlântica foram interditadas 37 áreas.Em Corumbá e Ladário, 22 pessoas foram multadas em R$ 1.209.450,00 pelo desmatamento ilegal de 22 áreas, num total de 192,62 hectares em Mata Atlântica. 

Outras 53,85 hectares em área de Cerrado, também equivaleram a mais R$ 55.260,00 em multas. Todos os desmatamentos ilegais foram levantados por imagem de satélites e as atividades foram interditadas.

De acordo com a PMA a maior parte da madeira obtida da derrubada das árvores, não estava mais no local ou estava em leiras na área desmatada. Os infratores responderão por crime ambiental, que prevê pena de um a três anos de detenção paras as áreas desmatadas em Mata Atlântica e de três a seis meses de prisão nas áreas de cerrado. E também foram notificados a apresentar um Prada (Plano de Recuperação da Área Degradada e Alterada) junto ao órgão ambiental estadual.

Anualmente, o MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) cruza as informações das licenças de desmatamento com as informações das propriedades gerais, gerando laudos que são remetidos para o Ibama, a PMA (Polícia Militar Ambiental) e Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul), que vão a campo fiscalizar.

Mata Atlântica em Pé – A operação foi desencadeada nesta semana em 15 estados, por iniciativa do MPE (Ministérios Publico Estadual), com o apoio do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) e da Polícia Militar Ambiental. Os trabalhos contaram com a ação de 6 equipes de 18 agentes da PMA e 3 equipes do Ibama com outros 9 agentes ambientais federais a campo e 2 servidores na coordenação.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions