ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, TERÇA  25    CAMPO GRANDE 22º

Meio Ambiente

Queimadas em unidades de conservação tiveram aumento superior a 300% em 2023

Cemtec fez a comparação dos registros de 2022

Por Kamila Alcântara | 15/05/2024 14:19
Bombeiro tenta controlar queimada no Pantanal (Foto: CBMMS)
Bombeiro tenta controlar queimada no Pantanal (Foto: CBMMS)

Todos os biomas do Mato Grosso do Sul sofreram com alta nos registros de queimadas, segundo o relatório divulgado pelo Cemtec (Centro de Monitoramento do Tempo e do Clima) - ligado à Semadec (Secretaria Estadual de Meio Ambiente, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação). O documento teve como base as informações do Centro Nacional de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais, que comparou os casos de 2022 e 2023.

Com relação às áreas incendiadas no Pantanal, foram 240 mil em 2022 e 520 no ano seguinte, o que representa um aumento de 116%. Já no Cerrado, saímos de 496 mil hectares para 807 mil, cerca de 62% a mais.

Quando a avaliação é em áreas protegidas a situação é mais alarmante. Nas unidades de conservação dos dois principais biomas do Estado, o aumento de áreas queimadas foi de 332%, na Serra do Amolar ficou em 346% e em terras indígenas superior a 56%.

Dados coletados pelo Cemtec (Foto: reprodução)
Dados coletados pelo Cemtec (Foto: reprodução)

O relatório traz, ainda, os locais de conservação onde registraram as queimadas: a maior está em Corumbá, com 12,5 mil hectares, na RPPN (Reserva Particular do Patrimônio Natural) Poleiro Grande. Já em terras indígenas, a mais afetada foi a kadiwéu, com 61,3 mil hectares atingidos pelo fogo.

Por fim, para os meses de maio, junho e julho deste ano, toda a região pantaneira está em nível de atenção para incêndios, pois a tendência climática indica maior probabilidade das chuvas ficarem abaixo da média histórica no estado do Mato Grosso do Sul neste período.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias