A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 20 de Setembro de 2018

09/09/2013 20:44

“Ele teve a pachorra de pedir a cassação”, dispara Bernal para Tabosa

Vinícius Squinelo e Bruno Chaves
Bernal mostra foto de Tabosa ao lado de políticos (foto: Marcos Ermínio)Bernal mostra foto de Tabosa ao lado de políticos (foto: Marcos Ermínio)

O prefeito Alcides Bernal (PP) foi ao ataque contra o presidente do Sisem (Sindicato dos Servidores Municipais), Marcos Tabosa, acusado pelo progressista de ter “compromissos políticos”.

“Ele (Tabosa) teve a pachorra de pedir a cassação de um prefeito eleito com 271 mil votos”, disparou o prefeito, em entrevista coletiva na tarde de hoje (9).

O prefeito chegou a levar fotos de Tabosa ao lado de políticos, como o vereador Airton Saraiva (DEM), para defender as ligações políticas do sindicalista. “Ele não tem a isenção necessária para falar em nome dos servidores”, afirmou Bernal.

A Prefeitura entrou com processo na Justiça de pagamento consignado, e deposita as contribuições sindicais sob juízo. A administração quer que a Justiça determine onde deverá ser realizado o pagamento, já que alguns sindicatos, como dos guardas e dos agentes de saúde, não reconheceriam o Sisem.

O presidente do Sisem, Marcos Tabosa, alega que o prefeito Alcides Bernal reteve indevidamente nos cofres da Prefeitura de Campo Grande R$ 700 mil ao Sisem, sendo R$ 400 mil do Imposto Sindical e R$ 300 mil da contribuição associativa. Para o sindicato, tal apropriação caracteriza improbidade administrativa. Mesma denuncia já foi encaminhada pelo Sisem ao Ministério Público do Estado.



O sindicato dos guardas municipais e o sindicato dos agentes comunitários de saúde não possuem a indispensável Carta Sindical que é expedida exclusivamente pelo Ministério do Trabalho e Emprego, para habilitarem-se ao imposto sindical. Alguns sindicatos representantes de outras categorias profissionais, como dos médicos e engenheiros conseguiram liminar para que parte do imposto referente a tais categorias, fosse depositado em juízo desde a administração passada, até o trânsito em julgado das demandas. Na verdade o Prefeito não quer repassar as verbas que de direito são do SISEM, inclusive a contribuição associativa, como retaliação porque a Chapa de sua preferência não conseguiu assumir o comando do sindicato, incorrendo, assim, no crime de apropriação indébita. O resto é conversa fiada.
 
oscar mendes em 09/09/2013 23:56:29
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions