A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

28/03/2016 17:24

"Pedido da OAB é muito mais consistente", diz presidente regional

Paulo Yafusso
Presidente da OAB/MS, Mansur Karmouche, participa do ato em que a OAB nacional pede o impeachment da presidente Dilma Rousseff (Foto: Divulgação)Presidente da OAB/MS, Mansur Karmouche, participa do ato em que a OAB nacional pede o impeachment da presidente Dilma Rousseff (Foto: Divulgação)

A OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) protocolou na tarde de hoje (28) na Câmara Federal, pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff. O documento, entregue pelo presidente nacional da Ordem, Cláudio Lamachia, contém a assinatura dos presidentes das 26 seccionais da OAB. O ato gerou um tumulto na Câmara, onde manifestantes contrários ao afastamento da presidente criticavam a atitude da Ordem dos Advogados, com palavras de ordem como “não vai ter golpe, vai ter justiça” e “a verdade é dura, a OAB apoiou a ditadura”. Os defensores do afastamento da presidente revidavam, gritando “vai ter impeachmente”.

O documento entregue tem 1.454 páginas, sendo 37 da petição, onde constam as justificativas e os argumentos para o pedido, e foi elaborado pelo Conselho Federal da Ordem. “O pedido da OAB é muito mais consistente do que o que já tramita na Câmara. Além das pedaladas, o pedido está fundamentado na delação do Delcídio, a tentativa de nomeação do ex-presidente Lula e a indicação do ministro do STJ”, afirmou Mansur Karmouche, presidente da OAB/MS, que esteve na Câmara dos Deputados acompanhando o presidente Lamachia na entrega do documento.

Karmouche explicou que além das justificativas para o pedido de impeachment de Dilma Rousseff, foram anexados vários documentos. Entre as irregularidades que os advogados consideram que ensejam o afastamento da presidente, estão as pedaladas fiscais, irregularidades na aplicação de recursos para as obras da Copa do Mundo de Futebol, a deleção do senador Delcídio do Amaral (sem partido), a manobra para nomear o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para o ministério da Casa Civil e a indicação de Marcelo Navarro para o STJ (Superior Tribunal de Justiça).

A nomeação de Lula para a Casa Civil teria como objetivo garantir ao ex-presidente foro privilegiado, para que ele não seja julgado pelo juiz federal de Curitiba, Sérgio Moro. Já a ida de Marcelo Navarro para o STJ faria parte da estratégia do Governo Federal para que ele auxiliasse na concessão de habeas corpus para libertar presos da Operação Lava Jato.

Mansur Karmouche disse que foi o próprio senador Delcídio do Amaral que contou como o governo de Dilma Rousseff trabalhou para a entrada de Navarro no STJ. Ele explicou que o pedido da OAB vai ser encaminhado ao presidente da Câmara Federal, deputado Eduardo Cunha (PMDB/RJ), que pode decidir por vários caminhos, como enviar os documentos para a comissão criada para analisar o pedido de impeachment para que faça parte do mesmo procedimento. Ou então, fazer com que esse pedido caminhe paralelamente ao que está sendo analisado pelos deputados.

Dilma diz que jamais renunciará e que impeachment é tentativa de golpe
A presidenta Dilma Rousseff fez hoje (22) um discurso incisivo contra o que chamou de golpe em curso no Brasil. Ela repetiu que não vai renunciar e a...
Reforma da Previdência deve ser votada na semana que vem, diz Meirelles
A reforma da Previdência deve ser votada na semana que vem, de acordo com o ministro da Fazenda Henrique Meirelles. A declaração foi dada na noite de...


OAB apoiou o golpe de 1964. Desta instituição não se pode esperar nada.
 
Antonio em 29/03/2016 09:17:29
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions