ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, QUINTA  29    CAMPO GRANDE 24º

Política

Advogado ligado aos irmãos Trad comandará PSD em ano de eleições

Lidiane Kober e Leonardo Rocha | 01/07/2015 14:50
Lacerda trabalha no escritório de advocacia de Fábio Trad (Foto: Reprodução/Facebook)
Lacerda trabalha no escritório de advocacia de Fábio Trad (Foto: Reprodução/Facebook)

Sem destino certo, os irmãos Tradcolocaram o advogado AntonioCesar Lacerda para assumir o comando do PSD em Mato Grosso do Sul em substituição ao empresário Antonio João Hugo Rodrigues. O novo dirigente terá a missão de conduzir o partido em ano de eleições municipais.

Tanto o deputado estadual Marquinhos Trad (PMDB) quanto o suplente de deputado federal Fábio Trad (sem partido) aguardam a aprovação da reforma política, em tramitação no Congresso Nacional, para anunciar o destino partidário. Os dois alegam perseguição política para deixar o PMDB e querem caminhar juntos em 2016.

Fábio se adiantou e já pediu a desfiliação da agremiação. Com mandato, Marquinhos adotou cautela para não correr o risco de perder cadeira na Assembleia Legislativa e ficar inelegível por infidelidade partidária.

A expectativa deles é a aprovação de janela para trocar de legenda sem sofrer sanções. Na Câmara Federal, a possibilidade já foi aprovada em primeira rodada de votação, mas precisa de um segundo aval e passar pelo do Senado. A outra alternativa é migrar em um partido recém-criado.

Enquanto segue o impasse, a alternativa dos irmãos para não deixar escapar o PSD foi colocar um homem de confiança no comando da legenda. “O Antonio João entendia que o Fábio seria a pessoa certa para dar sequência ao seu trabalho e eu entrei em nome dele”, admitiu Lacerda.

O novo dirigente era filiado ao PSB, mas tem pouca experiência política. “Nunca concorri a cargo eletivo, agora de política de classe entendo mais, fui duas vezes conselheiro da OAB-MS (Ordem dos Advogados do Brasil de MS)”, comentou.

Questionado sobre como driblará a falta de experiência para conduzir o partido em ano de eleição, Lacerda destacou que não está sozinho. “Apesar de ressaltar que vai pendurar as chuteiras, espero contar com o apoio do Antonio João, além disso, tem o Fábio para me ajudar”, frisou.

Em Campo Grande, Marquinhos trabalha para realizar o sonho e concorrer a prefeito da cidade. Neste cenário, o apoio do PSD, que, na última eleição, teve o terceiro maior tempo de televisão, é estratégico.

“Aindo aguardo a análise do Senado sobre a janela partidária, somente depois vou escolher para que partido vou. Enquanto isso, busco avaliar o conteúdo ideológico das legendas e se elas colocam os critérios em prática. Já analisei o Rede, PSD, PTB, PSDB, PSC e PL, mas ainda não existe definição”, disse Marquinhos.

Nos siga no Google Notícias