A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

15/06/2015 11:45

Mochi diz que não faltou apoio a Trad e que saída é decisão pessoal

Leonardo Rocha
Junior Mochi, presidente estadual do PMDB, diz que partido é maior que projetos pessoais e que não faltou apoio a Nelsinho durante campanha (Foto: Marcelo Calazans  -Arquivo)Junior Mochi, presidente estadual do PMDB, diz que partido é maior que projetos pessoais e que não faltou apoio a Nelsinho durante campanha (Foto: Marcelo Calazans -Arquivo)

O presidente estadual do PMDB, o deputado Junior Mochi (PMDB), resolveu se manifestar sobre a possível saída dos irmãos Trad do partido. Ele disse que não faltou apoio a Nelsinho na eleição de 2014 e que se trata de uma decisão pessoal. Também lembrou que o PMDB não vai se “encurvar” a qualquer imposição, já que o partido é maior que qualquer projeto pessoal.

Mochi diz que evita críticas sobre atitudes de outras pessoas, mas que não pode deixar de se manifestar diante do debate político, entre o ex-governador André Puccinelli (PMDB) e os irmãos Trad. “Este debate deveria acontecer nas reuniões do PMDB, mas em nenhum momento se falou em insatisfação”, pontuou.

Ele ainda diz ter achado estranho que esta discussão sobre saída e falta de apoio aconteça, justamente, quando o PMDB está fora do poder, tanto na prefeitura de Campo Grande, quanto no governo estadual, além do fato de se aproximar o término do prazo para filiação partidária.

“O nosso partido não é de propriedade de quem quer que seja, e não existe apenas para o exercício de mandato eletivo. Já perdemos e já ganhamos muitas eleições”.

Para Mochi em nenhum momento faltou apoio para Nelsinho Trad, durante a campanha eleitoral, tendo oferecido todas as condições políticas.

“Vale lembrar que a então vice-governadora, e hoje senadora Simone Tebet, abriu mão de concorrer ao governo estadual para apoiar o Nelsinho”, lembrou. O deputado garante que nunca houve da parte do ex-governador André Puccinelli, ou qualquer outra liderança, um movimento para “responsabilizar” o ex-prefeito pela derrota em 2014.

O peemedebista diz que não vai admitir que a família Trad justifique “falta de apoio” no processo eleitoral, para poder trocar de legenda. “É inadmissível a tentativa de se criar um fato que sirva para justificar uma eventual mudança de partido. Caso seja esse o interesse, basta solicitar o desligamento”.

Mochi ainda citou que todos precisam ter “capacidade” de avaliar e assumir os erros e que em nenhum momento o partido gostaria de perder tais lideranças, como Nelsinho Trad, Fábio Trad e Marquinhos Trad, mas que não vai aceitar imposição. “O PMDB é maior do que os projetos pessoais. Nós temos uma história para honrar”.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions