A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 21 de Agosto de 2017

19/03/2014 16:49

Aécio libera aliança do PSDB com o PT em MS, mas exige palanque

Josemil Arruda
Reinaldo, Aécio Neves e Figueiró esta tarde em Brasília (Foto: divulgação)Reinaldo, Aécio Neves e Figueiró esta tarde em Brasília (Foto: divulgação)

O presidente nacional do PSDB e pré-candidato à presidência da República pelo partido, senador Aécio Neves, garantiu, esta tarde, em reunião com o deputado federal Reinaldo Azambuja e o senador Ruben Figueiró, que o Diretório Estadual da legenda terá ampla liberdade para aliança eleitoral, inclusive com o PT. O sinal verde de Aécio abre caminho para a confirmação do acordo eleitoral com os petistas, baseado na chapa majoritária a ser encabeçada pelo senador Delcídio do Amaral para disputar o governo do Estado e tendo Reinaldo com candidato ao Senado.

Apesar da autonomia ao PSDB de Mato Grosso do Sul, Aécio asseverou que a legenda precisa organizar palanque nacional no Estado em razão da disputa presidencial deste ano. Havendo esse compromisso, qualquer aliança seria possível.

“Aécio deu total liberdade ao Diretório Estadual para que defina o melhor encaminhamento em relação às alianças e coligações com vistas a fortalecer o partido em Mato Grosso do Sul”, afirmou o deputado Reinaldo Azambuja, reiterando a manutenção do compromisso com a preservação do palanque do senador Aécio para a eleição presidencial. “O PSDB, no âmbito estadual, pode e deve continuar as conversações que está mantendo com todas as correntes político-partidárias, que desejam por meio de um programa uniforme conquistar o poder”, disse o senador Ruben Figueiró.

Reinaldo Azambuja e Ruben Figueiró saíram bem satisfeitos da reunião, já que aumenta bastante a chance de o PSDB continuar a ter uma vaga por Mato Grosso do Sul no Senado Federal. Hoje a vaga é ocupada por Figueiró, que era segundo suplente de Marisa Serrano, que renunciou para ser nomeada conselheira do Tribunal de Contas do Estado. Os outros dois senadores do Estado são Waldemir Moka (PMDB) e Delcídio do Amaral (PT).

Confirmada a aliança “sui generis” entre o PT e o PSDB em Mato Grosso do Sul, apesar de os dois partidos estarem em lados opostos no plano nacional, a aliança fortalece também a candidatura de Delcídio ao governo do Estado na disputa contra o pré-candidato a governador do PMDB, Nelsinho Trad.

Há, porém, a possibilidade de Nelsinho também ter um grande empurrão em sua candidatura se o governador André Puccinelli resolver disputar a vaga no Senado. Neste caso, porém, ambos são do PMDB, não havendo agregação de outra força partidária.

Apesar disso, nos últimos anos o PMDB tem conseguido formar as coligações mais amplas no Estado, com maior quantidade de partidos e maior tempo para o programa eleitoral gratuito de rádio e televisão.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions