A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

15/06/2011 18:35

Alegando infidelidade, petistas sonham em pôr Egon na vaga de Russo no Senado

Fabiano Arruda
Kemp diz que corpo jurídico do PT estuda o caso. Se houver brecha vamos reivindicar, avisa. (Foto: Divulgação)Kemp diz que corpo jurídico do PT estuda o caso. "Se houver brecha vamos reivindicar", avisa. (Foto: Divulgação)

Após a eleição de Marisa Serrano (PSDB) para a vaga de conselheira no TCE/MS (Tribunal de Contas do Estado) nesta quarta-feira, deputados petistas especularam pleitear a suplência do Senado para o ex-secretário do Estado, Egon Krakhecke, no lugar de Antônio Russo Netto, primeiro suplente da senadora.

A reivindicação dos petistas se apoia numa possível comprovação de infidelidade partidária por parte de Russo. Ele foi eleito em 2006, filiado ao PR, deixou o partido, foi para o PSDB e recentemente se desfiliou do ninho tucano. Agora, segundo informações do próprio PSDB, ele está sem partido, no entanto, deve voltar ao PR.

O deputado estadual Pedro Kemp (PT) informou que a assessoria jurídica petista vai estudar o caso. “Se houver brecha, vamos reivindicar”, garantiu.

No campo das especulações, caso Russo ficasse impedido de assumir a vaga, o substituto imediato é o segundo suplente, Ruben Figueiró.

No entanto, Kemp se escora numa declaração de Figueiró, que, segundo ele, afirmou não ter interesse em assumir o cargo.

A partir daí o pedido petista é que o segundo colocado na eleição de 2006, no caso Egon, que recebeu cerca de 40% dos votos, assumisse.

Contudo, pesa contra o sonho do PT a legislação atual, que dá o cargo ao suplente e esnoba o segundo colocado. O petista Paulo Duarte, por exemplo, apoia a ideia, mas acredita que não irá prosperar.

“É um absurdo um suplente sem voto assumir uma vaga no Senado. O Egon pelo menos teve 40%, mas fazer o quê? É a legislação vigente, uma regra equivocada que só uma reforma política pode mudar”, pontuou o parlamentar.

O diretório do PSDB ignora a iniciativa, apoiado na própria legislação, além de considerar remota a possibilidade, caso o primeiro suplente fique impedido, que Ruben Figueiró se decline da função.

Além disso, a assessoria jurídica tucana informa que, mesmo sem partido, o Senado convoca o primeiro suplente, automaticamente, a partir do momento que o cargo de Marisa for declarado vago.

Conferência discute Reforma Política em Campo Grande nesta quinta-feira
Deputados integrantes da Comissão Especial de Reforma Política na Câmara Federal estarão em Campo Grande amanhã para debater o tema em conferência re...
Londres afirma que suplente de Marisa tenta voltar ao PR
De volta a Assembleia Legislativa após um tratamento médico, o deputado Londres Machado (PR) revela que o empresário Antônio Russo Netto (sem partid...
STF diz que vaga de suplente é da coligação
Em MS, entendimento traz tranquilidade ao deputado Rinaldo Modificando um entendimento do próprio tribunal no ano passado, a maioria dos ministros do...


imagina se um homem desse sujeito a ir para o ceu, sem morrer, porque ser senador e ficar no paraiso, ele resolve arrumar um jagunço la da fronteira e matar uns punhados de pessoas politicas que nao concordarem com sua posse no paraiso. ja imaginou a confusao.
 
luiz fernandes em 16/06/2011 09:59:46
Eu que pensava que as coisas poderiam ficar melhor no MS. Mas do jeito que a politíca tem sido encaminhada por aqui, a tendência que deverá ficar Russa. Ou melhor Russo!!!
 
paulinho Barbosa em 16/06/2011 08:42:17
Me desculpem, mas é apenas sonho. Se o Russo cair na infidelidade partidária, assume o segundo suplente, Rubem Figueiró de Oliveira.
 
Roberto Manvailer Munhoz em 15/06/2011 06:56:47
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions