ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, SÁBADO  13    CAMPO GRANDE 17º

Política

Além da Assembleia, Governo também decreta luto pela morte de Ary Rigo

Currículo político de Rigo foi elencado como motivo para o decreto de luto por três dias

Por Nyelder Rodrigues | 01/10/2021 07:47
Rigo foi deputado por seis mandatos em MS e também exerceu cargo de vice-governador (Foto: Divulgação/Giuliano Lopes/Arquivo)
Rigo foi deputado por seis mandatos em MS e também exerceu cargo de vice-governador (Foto: Divulgação/Giuliano Lopes/Arquivo)

Seguindo a mesma linha da Alems (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul), o Governo do Estado também decretou luto oficial de três dias pela morte do ex-deputado estadual e ex-vice-governador Ary Rigo - que faleceu em decorrência de um traumatismo craniano ocasionado por um queda no banheiro do quarto de casa.

Ele ficou internado em tratamento no Hospital da Unimed, em Campo Grande, e teve que passar por duas cirurgias no cérebro para estancar o coágulo que se formou a partir de uma hemorragia no local. Ary Rigo, segundo o genro Daniel Navarro, estava com a frequência cardíaca baixa e sofreu uma parada cardíaca.

Internado desde a madrugada de segunda-feira (27), o ex-deputado de 75 anos faleceu no início da tarde desta quinta-feira (30). Já o velório dele começa às 8h30, no Parque das Primaveras (avenida Tamandaré, região norte da cidade), mesmo local em que ocorrerá o sepultamento, marcado para acontecer às 10h30.

Rigo participou da elaboração da 1ª Constituição de Mato Grosso do Sul, entre os anos de 1979 e 1982, e foi deputado estadual eleito por seis mandatos, tendo participado da Mesa Diretora e presidido a Assembleia de 2001 a 2003, além de exercer o cargo de vice-governador e chefe da Casa Civil na gestão Pedro Pedrossian.

O luto oficial do Governo começou a valer ontem (30) e levou em consideração todo o currículo político apresentado por Ary Rigo em sua vida. Ontem, em matéria do Campo Grande News, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) lembrou que dividiu espaço com Rigo no legislativo sul-mato-grossense entre 2007 e 2011.

"Contribuiu com o desenvolvimento econômico e social do nosso Estado", frisou, acrescentando mensagem de despedida. "Deus console os corações enlutados". Já o presidente da Alems, Paulo Corrêa (PSDB), considerou o falecimento repentino. "Seu nome ficará marcado na história da Assembleia e do Estado".

Além do Governo do Estado e da Assembleia Legislativa, a prefeitura de Maracaju, berço político do agrônomo Ary Rigo, também decretou luto oficial de três dias, iniciados já na quinta-feira, data de seu falecimento em Campo Grande.

Nos siga no Google Notícias