A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

12/04/2014 11:04

Assessor preso era lotado na vice-prefeitura e tinha salário de R$ 5,9 mil

Edivaldo Bitencourt
Prefeito canta durante culto em igreja com ex-assessor preso em São Paulo (Foto: Divulgação)Prefeito canta durante culto em igreja com ex-assessor preso em São Paulo (Foto: Divulgação)

Preso na operação sigilosa do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), Ronan Edson Feitosa de Lima tinha cargo comissionado com salário de R$ 5,9 mil por mês e foi lotado na vice-prefeitura, chefiada pelo atual prefeito, Gilmar Olarte (PP).

Lima, que foi preso em São Paulo, está no centro da operação que levou o promotor Marcos Alex Vera, do Gaeco, a intimar Olarte na manhã de ontem para prestar depoimento sobre o caso. Como as investigações seguem em sigilo, nada foi divulgado sobre o motivo da investigação.

Conforme o Diário Oficial de Campo Grande de 28 de janeiro de 2013, Ronan Edson Feitosa Lima foi nomeado por Alcides Bernal (PP) com o cargo de assessor especial III DCA-3 para trabalhar na Secretaria Municipal de Governo e Relações Institucionais. O salário é de R$ 5.960,80, incluindo-se a gratificação de 100%.

Ele deveria cumprir expediente na vice-prefeitura, mas lá não aparecia há um bom tempo. A relação é revelada em processo judicial. Quando um oficial de Justiça foi notificá-lo na Prefeitura, o então assessor de Olarte e atual secretário municipal de Administração, Valtermir Alves Brito, informou, no dia 6 de março deste ano, que Ronan não comparecia no local há tempo e iria providenciar a sua exoneração.

No entanto, a exoneração só ocorreu após a cassação de Bernal e foi feita no dia 17 de março deste ano, quando Gilmar Olarte exonerou todos os ocupantes de cargos comissionados na gestão do antecessor.

A ligação de Ronan Lima com Gilmar Olarte é revelada em vídeo, quando os dois aparecem cantando na igreja Assembleia de Deus Nova Aliança, que foi fundada e é dirigida pelo prefeito.

Em nota publicada nos jornais neste sábado, Olarte diz que já expulsou o ex-aliado da igreja.

Gaeco prende seguranças do prefeito da Capital por porte ilegal de arma
Dois guardas municipais foram presos pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), às 7h10 desta sexta-feira (11), na casa d...
Assembleia recebe prestação de contas e fará limpeza de pauta antes do recesso
A última semana de trabalho do Poder Legislativo de Mato Grosso do Sul em 2017 será aberta com a audiência pública para prestação de contas do govern...


É na Igreja,onde os caras querem ensinar a palavra de Deus, como eles proprios dizem,
que estão os maiores pecadores.
Inveja, orgulho, preconceito, ganancia, fuxico, luxuria, são palavras bem familiares a
esses enganadores.
 
Reinaldo Paes Sandim em 14/04/2014 13:20:16
Eu só quero ver o reajuste dos funcionários concursado....................Vamos ver se ele vai valoriza-los.
 
JOAO BATISTA DOS SANTOS FILHO em 13/04/2014 07:42:00
Todos farinhas do mesmo saco.
 
João Nelson de Oliveira em 12/04/2014 19:28:19
Politica e religião não se misturam, onde já se viu "bancada evangélica"? É uma combinação fatal para dar mer**. Juntar um politico e protestante, boa coisa não dá mesmo. Esse prefeitinho ai não engana ninguém, é um lobinho em pele de cordeiro, traiu o próprio parceiro que não valia nada mas entraram juntos. O povo tem que criar vergonha na cara e não votar nesses protestantes que já não se bastam de roubar nas igrejas, agora querem roubar na politica também.
 
João Nelson de Oliveira em 12/04/2014 19:26:24
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions