A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 16 de Agosto de 2017

14/09/2015 16:08

Bernal diz não acreditar que Solurb não tenha caixa para pagar trabalhadores

Paulo Yafusso e Ricardo Campos Jr.
Bernal fala em auditar notas emitidas pela Solurb para confrontar serviços executados com pagamentos feitos (Foto: Gerson Walber)Bernal fala em auditar notas emitidas pela Solurb para confrontar serviços executados com pagamentos feitos (Foto: Gerson Walber)

O prefeito Alcides Bernal (PP) afirmou agora a pouco, ao chegar no TJ (Tribunal de Justiça) para uma audiência de conciliação, que espera que a concessionária CG Solurb retome hoje a coleta do lixo, suspensa desde a última quarta-feira. Ele afirmou que caso seja necessário, hoje à noite será feito novo mutirão para recolher o lixo acumulado, a exemplo do que ocorreu no fim de semana. A audiência presidida pelo desembargador Vladmir Abreu da Silva, conta com a participação de representantes da empresa responsável pelo execução do serviço.

“Um consórcio que já recebeu durante a vigência do contrato R$ 200 milhões e que pretende receber mais R$ 23 milhões tem que ter no mínimo um lastro que lhe permita negociar o salário dos trabalhadores, não é possível que um consórcio de empresas não tenha recursos para pagar os trabalhadores”, afirmou Bernal antes de entrar para a audiência.

Ele afirmou que levou junto para participar da reunião no TJ técnicos para mostrar ao desembargador a situação financeira da Prefeitura. O prefeito afirmou que será preciso fazer uma auditoria nas notas emitidas pela CG Solurb pelos serviços executados. O consórcio que venceu a licitação para fazer a limpeza e coleta de lixo em Campo Grande é formado pelas empresas Financial e LD. A concessão é por um prazo de 25 anos e o valor inicial do contrato é de R$ 1 bilhão.

Alcides Bernal disse ainda, que pela Lei o município tem 90 dias de prazo paga fazer o pagamento às concessionárias públicas, e a última nota lançada pelo consórcio CG Solurb foi em agosto. A limpeza e coleta de lixo foi suspensa pelos trabalhadores da empresa, por causa do não pagamento dos salários de agosto. A Solurb alega que não tem dinheiro para arcar com o compromisso, por ter como cliente somente a Prefeitura, e que está sem receber pelos serviços executados em junho e julho. Já a Prefeitura diz que os pagamentos estão em ordem.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions