A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

28/09/2015 11:20

Bernal diz que reduziu gastos em 50% e cobra fim da "indústria de boatos"

Antonio Marques
Após apresentação de nova etapa do projeto de revitalização da região central da Capital, Bernal avalia positivamente seu 1º mês e considera preocupante os boatos que pregam instabilidade política (Foto: Antonio Marques)Após apresentação de nova etapa do projeto de revitalização da região central da Capital, Bernal avalia positivamente seu 1º mês e considera preocupante os boatos que pregam instabilidade política (Foto: Antonio Marques)

O prefeito Alcides Bernal (PP), em evento na Esplanada Ferroviária agora pela manhã, fez uma breve avaliação de seus primeiros 30 dias de sua volta à prefeitura. Disse que já reduziu mais de 50% as despesas das secretarias municipais e que precisa de estabilidade política para poder fazer planejamento na administração. “Minha avaliação é positiva e extremamente desafiadora, mas precisamos mesmo é dessa tranquilidade política”, declarou.

Segundo ele, a cada momento surgem boatos de ordem política envolvendo a Câmara Municipal, que representa instabilidade política. “Essa insegurança política é prejudicial e interfere na composição de um governo republicano”. Para Bernal, deveria-se firmar um pacto de governabilidade em favor do município. Ele considera que existe muitos problemas, mas que serão superados, “tudo com paciência”, comentou.

O prefeito enfatizou que precisa fazer um governo de coalizão com pessoas que têm interesse na estabilidade política para a boa administração da Capital. Ele citou sua preocupação com os boatos nas redes sociais invocados por pessoas ligadas ao prefeito afastado Gilma Olarte (PP), que estariam construindo um clima de instabilidade, com postagens de que “a qualquer momento pode haver uma ação judicial para nos tirar” ou que os vereadores estariam se articulando neste sentido, “são ameaças que, para a opinião pública e a população traduzem em instabilidade política e até jurídica”, considera Bernal, que defende a necessidade de providências dos órgãos responsáveis para a manutenção da legalidade.

Para ele, a impunidade retrata uma fragilidade da própria democracia em nosso município. “Enquanto a gente trabalha para resolver graves problemas, cujos os danos sejam ser irreparáveis, a gente tem que conviver com situações de meia duzia de pessoas querendo impor seus interesses particulares, egoísticos e até criminosos”, afirmou Bernal, acrescentando que hoje o maior problema enfrentado são as ameaças das pessoas investigadas nas operações Lama Asfáltica e Coffee Break.

O prefeito culpa essa instabilidade política por ainda não ter completado seu quadro de secretariado, pois, conforme ele, isso estaria interferindo nas negociações com o Poder Legislativo por não haver uma tranquilidade na Casa.

Na semana passada, nos corredores da Câmara, os boatos eram de que o presidente afastado Mário Cesar renunciaria ao cargo para efetivar nova eleição da Mesa Diretora. Estariam na disputa pela presidência, o atual presidente em exercício Flávio César (PTdoB) e o vereador João Rocha (PSDB), atual presidente das comissões permanentes de Ética, Educação e da Comissão Processante, que pode cassar o mandato do prefeito afastado Gilmar Olarte.

Conforme a boataria, a intenção do vereador João Rocha, que negou tal articulação, mas adminitiu que todos teriam o direito de conversar sobre o assunto, seria assumir a presidência da Casa, para depois, com possível queda do prefeito Bernal por meio de decisão judicial, tornar prefeito da Capital. No mesmo dia, Mário César divulgou informação por seus advogados que não vai renunciar à presidência da Casa.

Administração - O prefeito Alcides Bernal, disse que no sábado realizou uma reunião que debateu entre os pontos, a questão das auditorias nas secretarias e foi verificado uma redução das despesas das secretarias municipais em mais de 50% as despesas. Mesmo com todas as dificuldades apontadas, ele ressalta que continua trabalhando pela cidade e citou também a reunião em que participava com técnicos de projetos especiais da prefeitura e representantes do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) e do Lincoln Institute of Land Police, para apresentação de mais uma etapa do projeto de revitalização da área central da Capital e o PAC Mobilidade.

Lembrou que esteve em Brasília na semana passada em vários ministérios para destravar as obras paralisadas e tratar da questão da falta de merenda escolar. Disse que a prefeitura já tomou providências para retirar o nome do município de Campo Grande do Cadin (Cadastro de Inadimplentes) com o governo federal.

Ressaltou que entrou na prefeitura com a saúde parada por conta da greve dos médicos, que foi encerrada com o apoio dos profissionais quando ele assumiu. “Já autorizei a contratação de mais de 100 médicos para melhorar o atendimento”, lembrou, citando ainda a volta dos professores às salas de aula.

Disse que tem um rombo milionário nos cofres da prefeitura, que segundo Bernal, usaram até o dinheiro da merenda escolar, causando prejuízos às crianças e jovens nas escolas municipais.

Afirmou que estaria nesta segunda-feira com os técnicos da Seintrha (Secretaria Municipal de Infraestrutura, Transporte e Habitação) para tratar uma forma de intervenção da secretaria para iniciar o trabalho de tapa buracos, considerando o surgimento da “buraqueira” por conta das fortes chuvas dos últimos dias. “Já montamos equipe própria da secretaria para buscar reduzir custos desse serviço”, contou.



Mas e os buracos das ruas heim sr. Prefeito.
Nunca se viu nada igual em Campo Grande.

 
Reinaldo Paes Sandim em 28/09/2015 12:38:33
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions