ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SÁBADO  18    CAMPO GRANDE 29º

Política

Bernal diz que só depõe em Processante com diplomação de novos vereadores

Por Kleber Clajus e Leonardo Rocha | 16/12/2013 12:43
Bernal ressaltou hoje que só fala com entrada de novo integrante na Comissão Processante (Foto: Marcos Ermínio)
Bernal ressaltou hoje que só fala com entrada de novo integrante na Comissão Processante (Foto: Marcos Ermínio)

O prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), condicionou hoje seu depoimento na Comissão Processante a posse de vereadores que substituirão Paulo Pedra (PDT), Delei Pinheiro (PSD), Alceu Bueno (PSL) e a licenciada Thaís Helena (PT), cassados na semana passada pelo TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral) por compra de votos. Bueno era membro da Comissão e sua ausência, de acordo com Bernal, levanta “questionamento jurídico” quanto à “legalidade” dos trabalhos de investigação.

“Eles precisam primeiro definir o integrante da comissão processante, diplomar os novos vereadores para depois continuar os trabalhos”, disse o progressista após evento de entrega de máquinas da 2° fase do PAC 2 (Programa de Aceleração do Crescimento), na Associação Esportiva e Cultural Nipo-Brasileira.

Bernal disse ainda que está “tranquilo” quanto ao processo que investiga “fabricação de emergências” em sua gestão, que possibilitaram a contratação de empresas como Salute, Megaserv e JaGás.

“Estou tranquilo porque a principal denúncia que eles têm é em relação a contratações emergenciais provamos que trouxe economia ao município. Um dos exemplos é que antes o gás custava R$ 58 e hoje pagamos R$35”, justificou.

Terceira ausência – Nesta segunda-feira (16), Bernal faltou pela terceira vez seguida a uma audiência de depoimento na Processante. A primeira falta foi no dia 12 de dezembro, quando pediu para remarcar para o dia seguinte, mas apresentou atestado médico por conta de procedimento cirúrgico nos olhos. Desta vez, Bernal alegou que a Processante “está incompleta”.

Na justificativa da ausência do progressista, o advogado Jesus de Oliveira Sobrinho apresentou requerimento no qual pontua que com a cassação do mandato de Alceu Bueno (PSL) a Processante fica “desconstituída, e os seus integrantes remanescentes não estão legalmente autorizados a agir em nome dela”.

O presidente da comissão, vereador Edil Albuquerque (PMDB), e o relator Flávio César (PT do B) indeferiram o pedido de suspensão dos trabalhos optando que o progressista encaminhe sua defesa para a Câmara até o dia 23 de dezembro. Além disso, Bernal terá cinco dias para ratificar a declaração antes da entrega do relatório final, previsto para ser votado em sessão de julgamento no período de 27 e 30 de dezembro.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário