A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 24 de Setembro de 2018

25/08/2018 09:18

Candidatos apostam no "público-alvo" e currículo para conquistar eleitor

Deputados focam na base eleitoral e naqueles que já acompanham seu trabalho ao longo dos anos

Leonardo Rocha
Deputados Junior Mochi (MDB), José Carlos Barbosa (DEM), no centro, e Herculano Borges (SD), durante sessão (Foto: Victor Chileno/ALMS)Deputados Junior Mochi (MDB), José Carlos Barbosa (DEM), no centro, e Herculano Borges (SD), durante sessão (Foto: Victor Chileno/ALMS)

Diante de uma população descrente com a política e até desanimada para campanha eleitoral, os deputados que buscam a reeleição preferem focar a atenção no “público-alvo” e base eleitoral adquirida ao longo dos anos e aos desconhecidos expor o “currículo” que já fez pelo Estado, mostrando que não estão envolvidos em casos de corrupção.

“Os eleitores estão desanimados e descontentes com a política, diante de tantos casos de corrupção que assistem todos os dias, mas temos que mostrar que existem pessoas diferentes. Minha campanha já prioriza os públicos que seguem o meu trabalho, como os professores e servidores públicos”, disse o deputado Pedro Kemp (PT).

Para Junior Mochi (MDB) que vai concorrer ao governo, os políticos precisam “resgatar” a confiança dos eleitores. “Existe um sentimento de decepção e até de revolta sobre as denúncias contra os políticos, mas precisamos mostrar nosso passado e serviço prestado”, disse o emedebista.

Paulo Siufi (MDB) acredita que aqueles que possuem “eleitores fieis” estarão na frente dos rivais, já que em uma eleição curta, entende que não vai ter muito espaço para renovação. “Tem políticos com trabalho de muitos anos, com sua base consolidada em diversos segmentos, este público confia nele e vai segui junto. Para os novatos será difícil adquirir este respaldo, até pelo descrédito da população”.

Perfil - Já Herculano Borges (SD) aposta na “afinidade” com segmentos e grupos que o parlamentar representa. “A sociedade está bem dividida e representada, e os integrantes vão procurar aquele candidato que defende seus princípios e seus discurso, aquele que tem um perfil e assunto comum com seus pensamentos”.

José Carlos Barbosa (DEM) lembra que o eleitor vai “checar” se o candidato tem um “passado limpo” e o que ele já fez pela sociedade. “Resta ao político mostrar que é diferente dos outros que estão envolvidos em escândalos”.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions