A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

07/10/2016 09:05

Cobiçado, Bernal vai falar com Marquinhos e Reinaldo para decisão

Aline dos Santos
Bernal ficou em terceiro lugar no primeiro turno da eleição para prefeito. (Foto: Chloé Pinheiro)Bernal ficou em terceiro lugar no primeiro turno da eleição para prefeito. (Foto: Chloé Pinheiro)

Cobiçado pelos 111 mil votos recebidos no primeiro turno, o prefeito Alcides Bernal (PP) afirma que conversa nesta sexta-feira (dia 7) com o candidato Marquinhos Trad (PSD), o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) e a direção do PP.

A expectativa é de que ele anuncie hoje se apoia a candidatura de Marquinhos ou de Rose Modesto (PSDB), que disputam o segundo turno para prefeito de Campo Grande. Bernal não exclui neutralidade, mas o volume de diálogos que pretende manter hoje sinaliza que apoiará um dos dois candidatos.

“Já conversei com o Marquinhos e o Reinaldo pessoalmente. Os dois disseram que assumiriam o compromisso e voltaríamos a conversar. Não posso tomar essa decisão sozinho. Tem um grupo significativo de cidadãos que me apoiam”, afirma.

Segundo Bernal, as exigências para aderir a alguma das candidaturas é de que a aliança seja programática e que a nova administração não inclua denunciados por corrupção. O atual prefeito teve 26,01% dos votos. Marquinhos ficou com 34,57% (147.694 votos) e Rose obteve 26,62% (113.738 votos).

Nesta sexta-feira, o deputado estadual Carlos Alberto David dos Santos (PSC), o Coronel David, vai formalizar o apoio a Rose Modesto. Ele foi candidato a prefeito e recebeu 20.631 votos, sendo o quarto mais votado. Marcelo Bluma (PV), que recebeu 2,51% dos votos, também fará coletiva hoje para declarar apoio. Ele não antecipou o candidato.

Reforma da Previdência deve ser votada na semana que vem, diz Meirelles
A reforma da Previdência deve ser votada na semana que vem, de acordo com o ministro da Fazenda Henrique Meirelles. A declaração foi dada na noite de...
Quanto mais reforma demorar, mais dura será correção, diz ministro
Caso o governo não consiga aprovar a reforma da Previdência ainda este ano, conseguirá em 2018, disse hoje (11) o ministro do Planejamento, Dyogo Oli...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions