A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 17 de Agosto de 2017

21/01/2014 17:10

Com “perseguição política” de Bernal, Olarte tenta barrar expulsão em Brasília

Josemil Arruda
Gilmar Olarte já ingressou com defesa para tentar evitar expulsão (Foto: arquivo)Gilmar Olarte já ingressou com defesa para tentar evitar expulsão (Foto: arquivo)

O vice-prefeito de Campo Grande, Gilmar Olarte, está em Brasília, fazendo contatos políticos com a direção nacional de seu partido, o PP, a fim de evitar a expulsão que começa a ser providenciada em Mato Grosso do Sul, onde a legenda é comandada pelo prefeito Alcides Bernal.

Olarte está acompanhado de seu advogado, Rodrigo Pimentel, que na última sexta-feira (17) ingressou com defesa preliminar na Comissão Provisória do PP de Campo Grande, em resposta a uma representação que pede sua expulsão. Nessa defesa, o vice-prefeito alega que “claro é o intuito de perseguição política” na representação.

“Estamos em contato com a nacional, para acabar com essas dúvidas. Não houve qualquer tipo de ação minha contra o prefeito. Estamos quietos. Não tenho nem dado entrevista. Ele tem a tranqüilidade para tocar a cidade, afinal ele próprio me excluiu da administração. O resto é fantasia”, afirmou Olarte nesta terça-feira.

Segundo o advogado de Olarte, a Comissão Provisória do PP “não tem legitimidade para estar processando” o vice-prefeito da Capital. “O PP tem Comissão Provisória e quem a institui é a nacional, que põe o presidente. Essa comissão só tem duas funções, indicar candidatos e montar o diretório estadual. O prefeito Alcides Bernal, que é o presidente do partido, está o dirigindo como se diretório fosse, mas na realidade não é”, apontou o causídico Rodrigo Pimentel.

“Dentro do estatuto do PP está claro que Comissão Provisória não tem legitimidade para processar e julgar membro do partido”, acrescentou Pimentel, que também é advogado do vereador Waldecy Chocolate, que foi expulso do PP neste começo de janeiro.

Apesar da crise que se instalou no PP de Mato Grosso do Sul, Gilmar Olarte garante que “politicamente” está muito tranquilo. “Sou do PP. Não vamos de maneira nenhuma externar uma questão que é interna corporis. Não entendo porque o prefeito expõe isso. Não houve nenhum tipo de infração de minha parte. Ele está equivocado. Esperamos que esses equívocos sejam dirimidos”, declarou.

Resposta contra expulsão – Na resposta protocolada na sexta-feira passada, o vice-prefeito Gilmar Olarte diz que o pedido de expulsão é frágil, sem provas. “Na presente representação pretende o autor, punir o requerido com sanção disciplinar, por conta de supostos atos praticado pelo mesmo, sem qualquer comprovação cabal contida nos autos, com base apenas em testemunhos e juntada de matérias sensacionalistas”, alegou na defesa.

Os dirigentes do PP que ingressaram com a representação contra Olarte são da base partidária do Município de Sidrolândia e relataram que o vice-prefeito vinha agindo de forma contrária ao que preceitua o Estatuto do PP, no que tange ao comportamento ético e moral. Afirmaram que em encontros casuais, Olarte dizia algumas frases que afrontavam a imagem e a moral do prefeito Alcides Bernal.

“Tal denúncia contra o requerido mostra-se totalmente infundada, porquanto inverídicas tais comentários”, afirmo advogado de Gilmar Olarte, na defesa. “Certamente nesses encontros narrados na denúncia, o requerido disse uma coisa, que foi interpretado de outra forma”, garantiu.

Jamais, segundo a defesa, o requerido iria ficar denegrindo a imagem do seu aliado político, pois venceram a eleição juntos e de forma alguma ficaria dizendo frases como “faltam poucos dias para o Prefeito ser cassado”. Ainda conforme o advogado, dizem que a atitude de Olarte fere o que prevê o Estatuto do partido, “porém sequer indicaram qual o Princípio ou norma violada e a sanção que poderia ser determinada pela Comissão de Ética”.

A Comissão Provisória do PP no Estado, conforme a defesa de Olarte, “há tempos vem atuando de forma irregular, pois as mesmas somente servem para eleger os Diretórios Estaduais e Municipais. Incompetente, portanto a atual Comissão Provisória Estadual do PP para dirimir e processar qualquer processo administrativo dos filiados do Partido”.




CONCORDO COM O ODAIR E TAMBÉM O SR ANTONIO, OU O VICE PREFEITO NÃO SABIA QUE ELES PASSARIAM POR DIFICULDADES, CONTRA O PARTIDOS QUE JÁ ESTAVAM NO PODER HÁ MUITO TEMPO, NÃO APARECEU PARA DEFENDER O SEU PARTIDO E NEM A PREFEITURA, E QUE SE O PREFEITO SAIR ELE ENTRA E DEPOIS MUDA DE LEGENDA?,NÃO PODE FICAR MAIS COM O PREFEITO MESMO, SE O PARTIDO NÃO TIRA LO PERDE A CREDIBILIDADE DO POVO QUE QUER MUDANÇA.PELO POVO PARA O POVO E COM O POVO SE DEVE ADMINISTRAR POIS ANTES DE VCS O MUNICÍPIO É DO POVO.E QUEM COLOCA PODE TIRAR.
 
LUIZ CARLOS SANTOS MESSIAS em 22/01/2014 09:25:08
de certo o bernal quer que todo mundo fique puxando ...... dele, ta certinho o olarte o negocio é ficar quieto que é melhor!!!! o povo ta vendo o que esta acontecendo e não tem mais ninguém bobo todos estão ligados na mídia.
 
jose roberto em 22/01/2014 08:08:22
O Vice Olarte está coberto de razão. Afinal, assim como o Vereador Chocolate,ele tambem trabalhou muito na campanha para a vitória nas eleições e desde o início do mandato, Bernal o manteve completamente alijado da administração. Náo é assim que se trata companheiro de partido.
 
Alicio Mendes em 22/01/2014 05:54:40
EU acredito que para fazer uma boa administração, o Prefeito e o Vice tem que falar a mesma linga,independe da situação..nunca tentar tirar proveito de algo que pode acontecer, e sim, aprender com isso. no Caso do Vereador Chocolate tem que dar explicações para nós eleitores, porque do seu voto contra o prefeito, Ele é do mesmo partido...peso a Deus que guie os politicos de nosso Estado, dando a Eles sabedoria e inteligência, para administrar bem os interesse do Estado.
 
Odair Alves Teixeira em 21/01/2014 20:01:41
Esta certo o partido. O cara nunca esteve do lado do partido igual o vereador chocolate. Estavam com os pés em duas canoas esperando o prefeito ser cassado. Agora, porque tanto empenho da oposição em cassar o Bernal se não tivesse a garantia do Orlate para benesses. Se o Orlate estivesse firme com o partido, jamais os vereadores golpistas teriam tanto empenho em cassar o Bernal. E o chocolate votou para o Bernal ter chance de se defender, grande covarde partidário. Interessante e que setores da imprensa insiste em falar que querer se afastar de traidores e perseguição.
 
Antonio Pereira em 21/01/2014 19:14:17
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions