A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

18/05/2016 12:37

De empresário a senador, Pedro Chaves vê ‘brasis’ e se adapta a nova rotina

Ele tomou posse na terça-feira e entra no lugar de Delcídio do Amaral, que teve o mandato cassado

Mayara Bueno
O novo senador na posse que ocorreu na terça-feira (17). (Moreira Mariz/Agência Senado)O novo senador na posse que ocorreu na terça-feira (17). (Moreira Mariz/Agência Senado)
Novo senador Pedro Chaves (PSC). (Foto: Arquivo)Novo senador Pedro Chaves (PSC). (Foto: Arquivo)

Acostumado com o ramo da educação e empresarial de Campo Grande, Pedro Chaves dos Santos Filho, 75 anos, viu sua rotina e função mudar completamente de um dia para outro ao se tornar senador de Mato Grosso do Sul. Do PSC, ele era suplente do ex-parlamentar Delcídio do Amaral (sem-partido), que teve o mandato cassado por decisão do próprio Congresso, na semana passada.

A posse de Chaves aconteceu na terça-feira (17), quando, segundo o próprio, já começou a trabalhar, indo ao plenário discutir com os colegas “assuntos relevantes”. No Senado, o novo parlamentar já tem “casa” de trabalho fixa. Ficará no Anexo I, no térreo, “com uma infraestrutura grande, com 10 funcionários trabalhando”.

Economista, reitor por 15 anos e criador da Uniderp, o novo senador já tem o nome em três comissões do Senado: de Educação, Meio Ambiente e de Assuntos Econômicos. Esta última presidida por Delcídio do Amaral, antes de sua prisão em novembro passado.

Para ele, a mudança de “cenário”, permitiu a ele confirmar o quanto de “brasis” há no Brasil. “Muito importante esta mudança, porque ter a convivência com outros senadores confirma que o País é formado por vários ‘brasis’, com economia e cultura, por exemplo, totalmente diferentes”.

Nestes primeiros dias já foi possível, acrescentou, perceber o quão abrangente é o Senado, lembrando que não discutirá apenas educação, mas abordará outros assuntos. “Me deixou muito feliz essa possibilidade. Lá tem uma universalidade que vai beneficiar bastante”.

Antes da mudança, que o obrigará a viajar para a capital federal pelo menos três vezes por semana, Pedro Chaves atuava especificamente como vice-presidente da Associação Comercial e mantinha “muitas atividades pessoais”. Sobre o motivo de aceitar ser senador, Chaves atribuiu a possibilidade de poder ajudar o Estado, os outros dois senadores, Simone Teber e Waldemir Moka, ambos do PMDB, além do governador Reinaldo Azambuja (PSDB).

Prioridades – O novo senador sul-mato-grossense colocou como prioridade o Reviva, projeto de revitalização do centro de Campo Grande. “É importante, a cidade espera isso há dois anos”. Alguns projetos de lei do ex-senador Delcídio também serão retomados. O novo parlamentar ainda não sabe quais são as propostas.

Assembleia recebe prestação de contas e fará limpeza de pauta antes do recesso
A última semana de trabalho do Poder Legislativo de Mato Grosso do Sul em 2017 será aberta com a audiência pública para prestação de contas do govern...
Assembleia vota prorrogação de adesão a fundo que regula incentivos fiscais
A prorrogação até 30 de dezembro do prazo para que empresas beneficiadas com incentivos fiscais concedidos pelo governo do Estado se inscrevam no Fad...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions