A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

03/12/2013 15:23

Declaração de bens de servidor vai combater corrupção, diz Tabosa

Zemil Rocha
Tabosa considera que medida favorece a probidade administrativa (Foto: arquivo)Tabosa considera que medida favorece a probidade administrativa (Foto: arquivo)

O presidente do Sindicato dos Servidores Municipais de Campo Grande, Marcos Tabosa, elogiou a exigência de declaração de bens para os servidores da prefeitura. “Acredito que quanto mais clareza a gente tiver, menos corrupção haverá”, afirmou Tabosa.

Na Prefeitura de Campo Grande, a obrigação começou a valer a partir do dia 8 de novembro, quando foi publicado pelo prefeito Alcides Bernal (PP) o decreto nº 12.226, que obriga os servidores municipais a apresentar declaração de bens e valores que compõem seu patrimônio privado, como condição para o exercício de cargos ou funções na administração. A obrigação se dá de forma tardia, já que há previsão na legislação federal há mais de 10 anos.

Tabosa explicou que os a declaração deve ser apresentada na posse e atualizada anualmente, assim como entregue quando deixar a administração. “No caso dos servidores mais antigos é mais fácil, vai lá no sistema informatizado da prefeitura e declara os bens”, disse o presidente do Sisem.

“É bom que tenha esse tipo de controle. É bom para a democracia, para a transparência, honestidade, probidade administrativa”, destacou Marcos Tabosa. “Se servidor entrou e cresce no serviço público, tudo bem. Mas se foi nomeado para cargo de confiança, fica cinco anos no serviço público e aí tem um patrimônio que cresce 1..000% é de se desconfiar”, disse o sindicalista.

 

 



O que que adianta exigir declaração de bens de servidores se tem políticos que tem criação de rãs, que deu o que falar. Sem falar nos patrimônios.
 
Carlos José em 03/12/2013 21:46:48
Quem deveria manter este tipo de controle é a **receita federal**, e não cada repartição do governo individualmente. Mais ainda porque a prefeitura dificilmente consegue garantir que sabe todas as fontes de renda de determinada familia (servidor casado em comunhão de bens bem pode acumular patrimônio por causa da renda da esposa). Mas para isso funcionar deve se mudar a regra que bens constam na declaração pelo valor de compra; deve valer o valor de mercado (ou o valor do IPTU para imoveis, tabela FIPE para veiculos). Se não, depois de poucos anos o patrimonio declarado não significa nada.
Mas a receita não vai querer mudar isso, pois constando valor de compra, quando vender uma casa (valorizado depois uns anos), eles cobram imposto sobre a inflação...
 
Marcos da Silva em 03/12/2013 18:18:04
ta aí uma coisa interessante, esse tabosa bem que deveria declarar o que tinha antes de ser do "sindicato" e atualmente o que tem, isso seria legal. o Campograndenews poderia ser esse canal, mostrar aqui, mesmo porque ele apareceu bastante na midia, seria legal poder ver o valor do salario, antes, e atualmente.
 
silva souza em 03/12/2013 18:14:31
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions