ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, DOMINGO  23    CAMPO GRANDE 24º

Política

Delcídio diz que Dilma acreditava que crise política não chegaria a ela

Nyelder Rodrigues | 16/05/2016 22:11
Delcídio ainda falou sobre Bumlai e obstrução do PT à investigação Lava Jato (Foto: Reprodução TV Cultura)
Delcídio ainda falou sobre Bumlai e obstrução do PT à investigação Lava Jato (Foto: Reprodução TV Cultura)

O ex-senador sul-mato-grossense Delcídio do Amaral afirmou durante entrevista ao programa Roda Viva, da TV Cultura, que a presidente afastada Dilma Rousseff (PT) era mal assessorada e, por isso, acreditava que a crise política não a atingiria, assim como as investigações e denúncias em torno da Operação Lava Jato.

"A estratégia na cabeça da Dilma era equivocada. Ela tinha auxiliares com visão absolutamente desfocada. O Aluízio Mercadante por exemplo dizia que devia deixar a coisa rolar, que podia chegar até ao Lula, mas que ela sairia forte desse processo e ainda botaria a marca dela como gestora do Brasil", frisa Delcídio.

O ex-parlamentar também afirmou que a colaboração foi a de "amarrar as pontas", colocando como prova disso as acusações envolvendo a empresa Andrade Gutierrez. Ele também falou que mais coisas devem aparecer no futuro.

Impeachment - Para Delcídio, o impeachment de Dilma Rousseff também foi baseado principalmente na Lava Jato, sendo as chamadas "pedaladas fiscais" apenas um dos motivos para que essa situação. "Eu avisei sistematicamente Dilma sobre o que poderia acontecer. Acreditavam que pegaria só congressista. A Lava Jato foi pano de fundo".

Ele também afirmou que faltou coordenação política para Dilma, além de que a baixa da economia atrapalhou a presidente. "A pedalada é uma das questões, é um processo muito mais amplo e por isso o Michel Temer tem que acompanhar isso de perto".

Já sobre a relação do presidente da Petrobras com o presidente da República, Delcídio falou que ela é direta. "Todo mundo sabe que essa relação é forte, que o presidente da Petrobras sempre teve ligação direta com o presidente da República, é histórico. Dizer agora que não participou das composições, tenha paciência".

Delcídio também avaliou que depois de passar por várias esferas, a tendência é que a Operação Lava Jato "sobre" para os políticos. Ele também revelou que a questão envolvendo a refinaria de Pasadena já havia sido equacionada politicamente no Senado. Depois, Delcídio afirmou que Dilma não assumiu responsabilidades que eram dela.

Bumlai e obstrução - Sobre o pecuarista sul-mato-grossense José Carlos Bumlai, Delcídio comentou que Bumlai se empolgou com o poder. "Ele se encantou pela serpente, pela jararaca [usou o termo após intervenção da entrevistadora Eliane Catanhêde]".

"Agora vocês estão vendo as investigações, a questão das sondas. Rastrearam até que parte desse pagamento foi via frigorífico Bertin". Além disso, o ex-senador sul-mato-grossense afirmou que já conhecia Bumlai por serem do mesmo Estado. "Parece até aquele filme, eu sei o que você fez no verão passado". completou

Sobre a obstrução das investigações, Delcídio diz que ela começou a acontecer quando o núcleo central do Planalto "começou a entender que efetivamente a vaca estava indo para o brejo", já que a estratégia inicial do Governo era o de "deixar o trem andar", acreditando, que no fim o Governo seria poupado.

Nos siga no Google Notícias