ACOMPANHE-NOS    
MAIO, SÁBADO  28    CAMPO GRANDE 30º

Política

Delcídio impõe nova derrota a Zeca e presidente do PT é reeleito com 61,7%

Por Leonardo Rocha | 11/11/2013 08:26
Gildo vence as eleições e destaca empenho em candidatura de Delcídio (Foto: Cleber Gellio)
Gildo vence as eleições e destaca empenho em candidatura de Delcídio (Foto: Cleber Gellio)

O atual presidente municipal do PT, Gildo de Oliveira, venceu as eleições em Campo Grande e segue para seu segundo mandato. Ele conquistou 919 votos (61,7%) contra 570 da Professora Elza Jorge. Esta vitória representa a “continuação” do senador Delcídio do Amaral na condução do diretório da Capital, em disputa com o ex-governador e vereador Zeca do PT, que apoiou a candidata derrotada.

Gildo fez questão de enaltecer que a sua reeleição se trata de uma vitória política e não eleitoral e que seu foco principal é mobilizar a militância a apoiar o senador Delcídio do Amaral na eleição de 2014.

Delcídio fez questão de comemorar o resultado nas redes sociais apontando que a vitória foi do “diálogo com respeito e humildade”. Apesar do PT decidir por um candidato de “consenso” na direção estadual, com a escolha de Paulo Duarte, em Campo Grande havia uma disputa entre o senador e o ex-governador Zeca do PT.

A candidata Elza Jorge tinha como “lema” de campanha a “volta as origens” do PT, com um diretório mais independente e autônomo, que tinha como meta valorizar as “bandeiras” antigas e não deixar que o PT “abrigasse pessoas” que não tinham identidade com o partido.

Já Gildo desde o início garantiu que seu foco seria a campanha de Delcídio em 2014 e que a sua função seria organizar e motivar a militância para seguir unida. “Quando trabalhamos juntos, temos grande força no processo eleitoral”.

Eleição – De acordo com o presidente da comissão eleitoral, Francisco Givanildo, foi uma eleição tranqüila na Capital, sem protestos ou incidentes entre as chapas ou aos votantes. Ele destacou que os “crachás” que estavam gerando polêmica foram abolidos, e que para votar restava apenas levar uma identificação e estar apto a participar do pleito.

Ele ponderou que apenas um terço dos filiados da Capital participou da eleição, o que a direção estadual entendeu como abaixo do esperado. “Esperávamos ao menos que 70% dos aptos a votar comparecessem a eleição, mas foi menos de 50%”, avaliou.

Nos siga no Google Notícias