A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 19 de Agosto de 2017

17/04/2016 07:08

Depois de 43 horas, deputados encerraram discursos já de madrugada

Leonardo Rocha
Deputados encerram discursos de madrugada, após acordo de líderes (Foto: Nilson Bastian\Câmara dos Deputados)Deputados encerram discursos de madrugada, após acordo de líderes (Foto: Nilson Bastian\Câmara dos Deputados)

Depois de 43 horas, os deputados encerraram na madrugada de hoje (17), por volta das 3h42 (horário de Brasília), a fase de discursos e discussões no processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff (PT), dos 513 parlamentares, 140 não compareceram ou decidiram não fazer uso da palavra na Câmara Federal.

Os trabalhos começam na manhã da sexta-feira, por volta das 8h55, e seguiram durante todos os turnos, inclusive de madrugada, para que hoje (17), a partir das 14h, seja iniciado a fase de votação, onde a oposição precisa de 342 votos favoráveis, para aprovar o impeachment contra a presidente, para que então o processo siga para o Senado Federal, que irá dar a última palavra.

Como a maioria dos parlamentares queriam fazer pronunciamento, existia a expectativa dos discursos acabarem ainda nesta manhã, no entanto houve um acordo de líderes partidários para que esta fase fosse encurtada e muitos abriram mão de usar a tribuna, já que a direção da Câmara (Federal) avaliou que poderia atrapalhar o horário da fase de votações, que começa nesta tarde.

De acordo com a Câmara dos Deputados, esta fase de discursos que começou na sexta-feira e terminou na madrugada de domingo, foi a mais longa da história do legislativo, antes este posto era ocupado pela MP dos Portos, em 2013, quando deputados permaneceram 36 horas e 35 minutos. Entre os deputados de Mato Grosso do Sul que discursaram estavam: Luiz Henrique Mandetta (DEM), Geraldo Resende (PMDB) e Tereza Cristina (PSB).

O relatório final aprovado pela comissão especial do impeachment, teve o parecer do deputado Jovair Arantes (PTB-GO), que apontava crime de responsabilidade da presidente Dilma Rousseff (PT). Entre as infrações citadas está a edição decretos suplementares sem autorização do Legislativo e em desconformidade com um dispositivo da Lei Orçamentária, conhecida como "pedaladas fiscais".

Câmara vai homenagear 84 pessoas em sessão do aniversário de 118 anos
A Câmara Municipal de Campo Grande vai homenagear 84 pessoas em sessão solene na próxima quarta-feira (dia 23). Na ocasião, a partir das 19h, serão ...
Moreira Franco: MP das Rodovias dará segurança jurídica e resolverá problemas
O ministro da Secretaria Geral da Presidência, Moreira Franco, afirmou que a MP das Rodovias vai garantir condições de investimento nas concessões at...
Puccineli quer candidato de consenso a presidência do PMDB em MS
Só se for sem disputa. É assim que o ex-governador de Mato Grosso do Sul, André Puccinelli (PMDB), quer disputar o comando da legenda no Estado, nas ...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions