ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SEXTA  22    CAMPO GRANDE 23º

Política

Deputado diz que “janela” sai do papel porque “governo ganha”

Por Lidiane Kober | 27/06/2015 09:07
Segundo Dagoberto, PT deve perder políticos, mas aliados de Dilma vão se fortalecer (Foto: Marcos Ermínio)
Segundo Dagoberto, PT deve perder políticos, mas aliados de Dilma vão se fortalecer (Foto: Marcos Ermínio)

Motivo de expectativa de vários políticos, a janela para trocar de partido sem sofrer sanções é ponto praticamente certo para constar na reforma política em discussão no Congresso Nacional. A aposta é do deputado federal Dagoberto Nogueira (PDT). “O PT perde, mas o governo ganha com a janela”, explicou.

Segundo o parlamentar, a presidente Dilma Rousseff (PT) vê vantagem na oportunidade de políticos trocarem de partido porque a tendência é o fortalecimento da base aliada tanto na Câmara quanto no Senado. “Tem gente que deixará o PPS e o PSDB”, comentou. “Ao mesmo tempo, partidos aliados, como o PR e o PDT devem ganhar mais parlamentares”, completou Dagoberto, sem citar nomes.

Em primeiro turno, a janela foi aprovada na Câmara dos Deputados, porém, ainda precisa passar por nova avaliação e, depois, seguir para apreciação dos senadores. Pela proposta inicial, políticos teriam 30 dias, após a sanção da reforma política, para trocar de agremiação, sem o risco de perder o mandato e ficarem inelegíveis.

Em Mato Grosso do Sul, os irmãos Trad torcem pela aprovação da janela para deixar em paz o PMDB, já que o ex-governador André Púccinelli (PMDB) avisou que o partido não vai deixar barato e vai às últimas instâncias para recuperar mandatos.

O deputado estadual Marquinhos Trad (PMDB) e o suplente de deputado federal Fábio Trad (sem partido) são os mais visados. Sem mandato, Nelsinho Trad (PMDB) não teria problemas para arrumar outra legenda.

Outro com mandato que cogita procurar outro partido é o deputado federal Elizeu Dionizio (SDD). Ele estuda fazer parte do ninho tucano ou ingressar no PR. Já Marquinhos e Fábio estão bem próximos dos PSD.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário