A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 22 de Agosto de 2017

11/05/2016 12:45

Deputado tenta incluir "relatório paralelo" na CPI do Cimi

Leonardo Rocha
Deputado Pedro Kemp reclamou da sessão de ontem (10), no qual foi aprovado o relatório da CPI do Cimi (Foto: Assessoria/ALMS)Deputado Pedro Kemp reclamou da sessão de ontem (10), no qual foi aprovado o relatório da CPI do Cimi (Foto: Assessoria/ALMS)

O deputado Pedro Kemp (PT), integrante da CPI do Cimi, solicitou à Mesa Diretora da Assembleia que seu voto em separado, trazendo visão diferente da investigação expressa no relatório final, seja anexado a este documento, na hora que for enviado para os órgãos de controle.

Kemp usou a tribuna do Legislativo Estadual, nesta quarta-feira (11), para reclamar da reunião de terça-feira (10), da CPI do Cimi, alegando que se tratou de uma "sessão relâmpago", que durou cinco munutos e quarenta segundos, iniciando às 14h, com apenas três integrantes: Mara Caseiro (PSDB), Paulo Corrêa (PR) e Onevan de Matos (PSDB), sem a sua presença.

"As outras reuniões começavam por volta das 14h20, esta foi no horário, o rito foi cumprido, com quórum mínimo, mas minha reclamação é política, porque não pude manifestar o meu voto dissonante e me senti desrespeitado”. Quando o petista chegou para reunião, ela já havia terminado, com aprovação de forma unânime do relatório final.

Ele alegou que sempre se colocou contra a denúncia, já que o Cimi se trata de uma entidade privada, sem acesso a recursos públicos. Para ele o fato da sessão de ontem ter acontecido sem a presença de todos os integrantes, teve o objetivo de "cercear o direito dos membros que discordaram dos argumentos".

Sessão normal - A presidente da CPI, a deputada Mara Caseiro (PSDB), explicou que a sessão foi normal, e começou por volta das 14h11, com dez minutos de tolerância. "Como o relatório já tinha sido lido na semana passada, a reunião era apenas para votação, começamos com os deputados que permitiam o quórun e não tivemos em nenhum momento, um aviso ou comunicado que um dos deputados iria demorar, para que esperássemos a sua chegada".

Mara disse que houve a leitura da ata e depois votação. "Ainda abri espaço para debate, mas os integrantes dispensaram, por isso encerrei a reunião, não havia mais deliberações. Estou com a consciência limpa, não possa aceitar que houve uma armação sobre isto, me sinto até desrespeitada", disse ela. A deputada vai entregar o relatório da CPI, nesta tarde, a partir das 15h, ao governador Reinaldo Azambuja (PSDB).




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions