ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MAIO, DOMINGO  19    CAMPO GRANDE 16º

Política

Desafio da gestão Riedel é estruturar eixos logísticos, avalia ex-governador

Obras viárias que já foram pactuadas no “MS Ativo – Municipalismo” vão garantir maior competitividade

Por Gabriela Couto | 23/04/2024 13:37

Para o ex-governador Reinaldo Azambuja (PSDB) o grande desafio da gestão do sucessor no governo, Eduardo Riedel (PSDB), são as obras viárias. Durante visita ao Campo Grande News, nesta terça-feira (23), ele defendeu a retomada das ferrovias e a concessão das rodovias federais para o Estado.

“A logística é fundamental para dar mais competitividade ao Estado. Precisamos consolidar a BR-163, BR-262 e BR-267”, elencou. A expectativa é que até o próximo mês o governo federal delegue ao Estado trechos das BRs 262 e 267.

No planejamento da gestão estadual está a concessão dessas rodovias para a inciativa privada. O pacote de investimentos delimita o trecho da BR-262, entre Campo Grande e Três Lagoas, e o trecho da BR-267, entre Nova Andradina a Bataguassu. As vias integram a chamada ‘rota da celulose’, no lado leste do Estado, passando pelas cidades de Ribas do Rio Pardo, Água Clara, Santa Rita do Pardo e Três Lagoas.

Já a BR-163, que corta Mato Grosso do Sul, aguarda a definição do TCU (Tribunal de Contas da União) que aceitou a repactuação do contrato com a CCR MSVia. A previsão é que a concessão seja estendida por mais 15 anos.

A empresa será responsável pela rodovia até 2049, mas terá que seguir uma série de exigências feitas pelo governador, como 190 km de duplicação da rodovia, mais de 170 km de inclusão da terceira faixa e passarelas.

Azambuja disse que chegou a acompanhar agendas da articulação do governo tucano em Brasília, com o ministro dos Transportes e ex-colega de Câmara dos Deputados, Renan Filho. “Ele entendeu a importância dos projetos para o Estado. Mato Grosso do Sul precisa correr contra o tempo nessa estruturação dos eixos logísticos que vão baratear os custos e dar mais competitividade”.

Parte das obras viárias também passam pela necessidade da retomada da Malha Oeste, com a conexão à Malha Norte paulista, já articulada em Brasília (DF), por Riedel. A ideia é ligar as malhas com uma conexão de 89 km entre Três Lagoas e Aparecida do Taboado.

Outro destaque feito pelo ex-governador Azambuja é a conclusão da ponte da Rota Bioceânica que vai ligar o Estado ao Pacífico. As negociações começaram na gestão passada e estão em fase de implantação. Para melhorar a logística, novos caminhos estão se abrindo no interior.

“Nesse pacote do ‘MS Ativo Municipalismo’, também foram pactuadas obras importantes de ligação entre rodovias”, acrescentou Azambuja. Uma delas, por exemplo, é a pavimentação e a drenagem de 2,7 quilômetros no perímetro urbano entre a BR-163 e a MS-280, em Caarapó, que custarão ao cofre estadual R$ 10 milhões.

No projeto logístico da atual gestão há o planejamento de PPPs (Parcerias Público-Privadas) e concessões até o final do mandato tucano. Riedel divulgou o planejamento durante painel de governadores que participam do Lide Brazil Development Forum 2023 (Fórum de Desenvolvimento do Brasil 2023), em Washington, DC (EUA). Confira abaixo:

Reprodução do slide utilizado para 'vender' projetos que fazem parte dos planos do governador Eduardo Riedel neste mandato (Foto: Arquivo)
Reprodução do slide utilizado para 'vender' projetos que fazem parte dos planos do governador Eduardo Riedel neste mandato (Foto: Arquivo)

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias