A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 16 de Agosto de 2017

18/09/2015 10:40

Descaso na gestão municipal cria cemitério de obras na Capital

Antonio Marques
Descaso na gestão municipal cria cemitério de obras na Capital

O descaso da gestão pública e a falta de fiscalização mais enérgica dos órgãos competentes provocam "cemitério" de obras paralisadas na Capital. Só na área da educação são 17 obras com problemas que impedem o MEC (Ministério da Educação) de efetuar repasses pactuados para Campo Grande.

São 17 Ceinf's (Centro de Educação Infantil), que já deveriam estar com as obras conclusas, mas que se arrastam há mais de três anos, por conta de situações simples, como falta de atualização da construção no sistema do FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação), órgão do MEC, responsável pela liberação dos recursos.

Enquanto essas obras se arrastam, empatando os recursos investidos, mais de R$ 40 milhões da União, fora o valor da contrapartida do município, milhares de crianças deixam de frequentar a creche e a pré-escola, conforme dados da Semed (Secretaria Municipal de Educação), apresentados na CPI das Contas Públicas da Câmara Municipal em junho passado, Campo Grande atende apenas 29,8% das crianças de 0 a 3 anos na creche, e 80,8% na pré-escola, de 4 a 5 anos de idade.

Muitas das obras paralisadas dos Ceinf's foram iniciadas em 2012 e deveriam estar funcionando desde 2013, beneficiando pelo menos 2.040 crianças em período integral, uma vez que cada unidade tem capacidade de receber 120 meninos e meninas de zero a cinco anos, na creche e na pré-escola.

Conforme relatório do FNDE, a maioria das obras paradas estão com percentual de execução acima de 60% e continuam ao relento por falta de eficiência na gestão municipal, que não cumpre os prazos estipulados para inserir informações no sistema integrado do MEC, que acompanha a realização das construções em todo o país.

De acordo com o MEC, alguns Ceinf's dependem de inserção de aditivo de prazo para que o contrato de repactuação permaneça vigente, uma vez que as empresas que venceram as licitações não realizaram as obras dentro do prazo estipulado e os contratos encontram-se vencidos. Como é o caso dos Ceinf's da Vila Nasser, Jardim Radialista, Bairro Oliveira III, dentre outros.

Caberia à Secretaria Municipal de Educação solicitar ao ministério prorrogação dos contratos para a continuidade das obras e aditivo para revisão dos valores contratados, considerando que as empresas alegam paralisações de obras por valoração dos materiais de construção e serviços.

Além das obras paralisadas, o novo secretário de Educação do município vai ter a tarefa de licitar mais nove Ceinf's previstos para Campo Grande que, inicialmente, seriam construídos pela empresa Casa Alta, que venceu licitação do MEC e desistiu das obras.

Obra está abandonada e crianças continuam fora da escola (Foto: Arquivo)Obra está abandonada e crianças continuam fora da escola (Foto: Arquivo)
PMDB retoma processo para mudar nome e voltar a se chamar MDB
A direção do PMDB retomou um processo interno para mudar o nome da legenda para MDB (Movimento Democrático Brasileiro), abandonando a denominação de ...
Reinaldo diz que corte de gastos do Governo Federal é preocupante
O governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), admitiu, nesta quarta-feira, 16, preocupação sobre os reflexos do pacote de medidas do ...



O que acontece com essas obras sao o seguinte: elas sao convenios do FNDE mas tem CONTRAPARTIDA da prefeitura, ou seja a prefeitura também tem sua parte A PAGAR, MAS SÓ QUE NAO PAGA. Nao deposita a contrapartida e assim as empresas parar e a obra nao caminha.
A maioria das obras estao sendo objeto de AÇÃO DE RECISAO CONTRATUAL pois quem consegue executar uma obra com preços de 2011, no ano de 2015, onde TUDO JA SUBIU VARIAS VEZES.
Portanto se a prefeitura NAO ASSUMIR ESSES REAJUSTAMENTOS e nao DEPOSITAR A CONTRAPARTIDA, vao continuar por anos como cemitério e com TUDO QUE JA FOI INVESTIDO , jogado no lixo.
Mas como o PREFEITO ASSINOU UM DECRETO DE MORATÓRIA DE 90 DIAS COM CERTEZA SÓ SERAO DISCUTIDAS ESSAS OBRAS EM 2016. até la, ficam assim, sujas, depedradas pelos vandalos e abandonadas
 
ariel em 18/09/2015 14:13:16
O que eu acho engraçado é que ninguem é responsabilizado por isso, nosso dinheiro é capim e ninguem faz nada, o MP daqui é apático.
 
Max em 18/09/2015 11:00:41
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions