A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

31/05/2013 15:06

Em Jardim são pedidas impugnações de 2 dos 3 candidatos a prefeito

Zemil Rocha
Erney ao lado de Marcelo, comemorando a vitória em outubro do ano passado (Foto: Arquivo)Erney ao lado de Marcelo, comemorando a vitória em outubro do ano passado (Foto: Arquivo)

Embora as candidaturas a prefeito de Jardim tenham sido registradas há uma semana, a indefinição ainda perdura, já que dois dos três postulantes enfrentam pedidos de impugnação. Segundo informações do Cartório da 22ª Zona Eleitoral, foram pedidas impugnações dos candidatos Erney Bazzano Barbosa (PT) e Lizangela Blaya de Mello (PDT).

Com essa insegurança sobre as candidaturas, a campanha eleitoral ainda não foi colocada nas ruas, embora autorizada desde o dia 25 de maio.

Representando da coligação “Novos Tempos”, integrada por PT, PMDB, PR, PSB, PTC, PSD, PSC, PV, PSL, PRP e PP, Erney teve pedida a impugnação sob várias alegações, mas principalmente pelo fato de ter sido o vice-prefeito eleito em 2012 na chapa de Marcelo Henrique de Mello (PDT), cuja cassação motivou a eleição suplementar no município. Moveram pedidos de impugnação o Ministério Público e as duas coligações adversárias.

Lizangela Blaya de Mello, representante da coligação “Rumo Certo”, integrada por PDT, PPS e PTB, teve a candidatura com impugnação requerida em razão da filiação partidária, com representação tendo sido movida pelo Ministério Público. Além do MP, as outras duas também estão tentando cancelar o registro da candidatura da pedetista.
O juiz eleitoral da 22ª Zona Eleitoral, Luiz Alberto de Moura Filho, tem prazo até 21 de junho para julgar os pedidos de impugnação.

Só sobrou, por enquanto, como certa, a candidatura de Gláucio Cabrera (DEM), da coligação "A Força de Novas Idéias", integrada por DEM, PSDB, PRTB e PSDC.

 

 

*Alterada às 19h12

Reforma da Previdência deve ser votada na semana que vem, diz Meirelles
A reforma da Previdência deve ser votada na semana que vem, de acordo com o ministro da Fazenda Henrique Meirelles. A declaração foi dada na noite de...
Quanto mais reforma demorar, mais dura será correção, diz ministro
Caso o governo não consiga aprovar a reforma da Previdência ainda este ano, conseguirá em 2018, disse hoje (11) o ministro do Planejamento, Dyogo Oli...


Agora é hora da justiça "endurecer" mantendo as decisões até então tomadas, e não dar brechas para novos recursos dos candidatos cassados, só assim não haverá mais problemas futuros.
 
Olices Trelha em 31/05/2013 15:38:39
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions