A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 16 de Agosto de 2017

18/03/2016 12:00

Em nota, PMDB em MS reitera pedido de rompimento com governo do PT

Partido também condenou a nomeação de Lula na Casa Civil

Mayara Bueno
Junior Mochi, presidente do PMDB em MS. (Foto: Arquivo)Junior Mochi, presidente do PMDB em MS. (Foto: Arquivo)

Depois das últimas notícias sobre o governo de Dilma Rousseff (PT), o PMDB de Mato Grosso do Sul reiterou o pedido de rompimento do partido com o PT, com a entrega de todos os cargos federais. Também condenou a nomeação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na Casa Civil. A posse está suspensa pela Justiça, por enquanto, mas a medida provocou reações e protestos imediatos.

Em nota, assinada pelo presidente Junior Mochi, o PMDB reafirmou a posição definida na convenção nacional, que aconteceu no sábado (12), de “imediato rompimento com o governo federal”. Os peemedebistas também condenaram a nomeação de Lula, dizendo que trata-se de um ato “que fere a Justiça e é contrário aos interesses do povo brasileiro”.

O partido declarou ser a favor do impeachment de Dilma – a presidente enfrenta processo na Câmara dos Deputados, aberto na quinta-feira (17). “Ela não tem mais condições políticas e nem credibilidade para conduzir o País através da crise, razão pela qual o PMDB-MS orienta a sua bancada no Congresso nacional a votar pelo impeachment”, traz trecho da nota.

Declaração assinada pelo presidente nacional do partido e vice-presidente da República, Michel Temer, elenca outros 11 estados que pedem que o PMDB rompa com o governo. Em MS, o pedido do fim da aliança foi feito diretamente para Temer, que veio ao Estado em 4 de março.

No sábado, a legenda já havia pedido a entrega imediata de todos os cargos federais ocupados por peemedebistas. Mesmo assim, o deputado Mauro Lopes, de Minas Gerais, assumiu a Aviação Civil ontem. Assim como o partido nacional, em Mato Grosso do Sul o pedido é para demissão do parlamentar ou expulsão do PMDB por descumprir decisão da convenção.

A nota, datada desta sexta-feira, é assinada pelo presidente do partido no Estado, deputado estadual Junior Mochi, vereadora Carla Stephanini, presidente do PMDB Mulher de MS, pela presidente PMDB Afro-MS, Ana José Alves Lopes, e por Maicon Nogueira, presidente da JPMDB.

Dilma é notificada sobre eleição da comissão do impeachment
A presidente Dilma Rousseff (PT) foi notificada há pouco sobre a eleição da comissão especial destinada a apurar o pedido de impeachment acatado pelo...
Com 433 votos a 1, Câmara aprova comissão que analisará impeachment
A Câmara dos Deputados aprovou, na tarde desta quinta-feira (17), a comissão especial que analisará o pedido de impeachment da presidenta Dilma Rouss...
Eduardo Cunha abre votação para eleição da comissão do impeachment
O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) iniciou agora há pouco a votação da comissão especial que vai analisar o processo de im...



Esse PMDB continua o mesmo o mesmo velho partido de sempre ,vive como parasita
sempre esteve ao lado do governo apoiando todos os erros do pt agora que o bicho ta pegando ele se vira contra o governo partidinho oportunista .nos eleitores estamos de olho em vcs tambem.
 
Jose Marcio Paes em 18/03/2016 15:22:13
Chutando cachorro morto.....esse é o perfil do PMDB.
 
Araujo em 18/03/2016 12:19:25
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions