A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 19 de Agosto de 2017

10/09/2014 12:33

Ensino técnico e recurso para UEMS são prioridade para candidatos ao Senado

Kleber Clajus e Leonardo Rocha
Simone Tebet (PMDB) lembrou necessidade de ampliar em 50% número de vagas para o ensino técnico (Foto: Marcelo Calazans)Simone Tebet (PMDB) lembrou necessidade de ampliar em 50% número de vagas para o ensino técnico (Foto: Marcelo Calazans)
Alcides Bernal (PP) acredita em valorização dos profissionais para sair do discurso (Foto: Marcelo Calazans)Alcides Bernal (PP) acredita em valorização dos profissionais para sair do discurso (Foto: Marcelo Calazans)
Ricardo Ayache (PT) defendeu necessidade de se investir mais em cursos de capacitação para professores (Foto: Marcelo Calazans)Ricardo Ayache (PT) defendeu necessidade de se investir mais em cursos de capacitação para professores (Foto: Marcelo Calazans)

Dentre as principais propostas dos cinco candidatos ao Senado que participaram, nesta quarta-feira (10), de debate na Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul) se destacam a ampliação de qualificação dos profissionais da educação e da oferta de cursos técnicos, além de mais recurso para a UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul).

Lucien Rezende (PSOL) questionou Valdemir Cassemiro (PSTU) se o Senado é o melhor lugar para resolver as demandas da educação. Em resposta, o candidato socialista afirmou que não, pois somente um “sistema revolucionário” poderia alterar a realidade das escolas com estruturas precárias e alto grau de evasão escolar. Ele ainda é favorável a estatização do setor.

Já Simone Tebet (PMDB) optou por inquirir Alcides Bernal (PP) sobre a principal meta do plano nacional de educação. O progressista respondeu que a regra elementar seria a “valorização do ensino e trabalhador, com qualificação e remuneração justa para defender o interesse da sociedade e não de grupos políticos que escravizam e só falam na teoria e não fazem na prática”.

Em seguida, Bernal voltou-se a peemedebista para saber sua opinião quanto a um plebicito sobre a federalização da educação básica. Simone fez questão de ressaltar ser favorável a consulta popular, mas que é preciso focar o ensino médio, associado a curso profissionalizantes. Quanto a provocação do adversário, respondeu: “não apenas falo, mas também faço. Tanto que fui a primeira prefeita do país a implantar a hora atividade e o piso nacional para os professores”. Ela ainda relembrou necessidade de se regulamentar a destinação de 75% da lei do Pré-Sal para a educação, além de ampliar em 50% o acesso as vagas públicas no ensino técnico.

Ricardo Ayache (PT) voltou-se a Lucien Rezende para tratar dos investimentos na UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul), citando que a instituição está “sucateada” e o governo estadual precisa seguir exemplo do federal que criou 400 escolas técnicas e 12 universidades.

Valtemir Cassimiro (PSTU) não vê o Senado como local para resolver as demandas da educação (Foto: Marcelo Calazans)Valtemir Cassimiro (PSTU) não vê o Senado como local para resolver as demandas da educação (Foto: Marcelo Calazans)
Lucien Rezende (PSOL) deve pressionar governo estadual a reduzir repasse para o Legislativo e aumentar o da UEMS (Foto: Marcelo Calazans)Lucien Rezende (PSOL) deve pressionar governo estadual a reduzir repasse para o Legislativo e aumentar o da UEMS (Foto: Marcelo Calazans)

Na resposta, o candidato do PSOL criticou o fato de haver inversão de valores “quando se repassa do orçamento do Estado 2,7% para Assembleia e 1,5% para a UEMS”. Seu objetivo, caso eleito, é colocar 2,7% para a universidade e apenas 0,5% destinada a manutenção do Legislativo. Contrário ao Aquário do Pantanal, ele ainda voltou atrás ao entender que o espaço, quando concluído poderá ser importante polo de pesquisa.

Por fim, Valdemir questionou o petista sobre a forma de se resolver a falta de vagas para adolescentes e jovens. Nesse sentido, Ricardo Ayache explicou a necessidade de ampliar percentual de 45% dos alunos com 16 anos na escola para equiparar-se a média nacional de 66%. Ele ainda ressaltou, durante o evento, que se invista mais em qualificação também dos profissionais da educação com pós-graduação e mestrado para melhorar o ensino em sala de aula.

Debate – Promovido pela Fetems, o debate terá cinco blocos. Neles, a intenção é que os postulantes ao Senado apresentem suas propostas, respondam perguntas de delegados da instituição, interajam entre si com perguntas, respondam questionamento relativo a educação pela Fetems e realizem suas considerações finais.

Apenas o candidato Antônio João Hugo Rodrigues (PSD) não participou do evento, por ter compromissos de campanha em Porto Murtinho.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions