A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 25 de Setembro de 2018

06/02/2018 19:31

Geraldo e Tereza declaram voto favorável à reforma da previdência

Marun deve voltar, mas bancada tem três contrários e dois indecisos

Kleber Clajus e Humberto Marques
Deputados Geraldo Resende (PSDB) e Tereza Cristina (DEM) estariam alinhados com o governo em relação à reforma (Foto: Montagem/Lucio Bernardo Jr./ Billy Boss/Câmara dos Deputados)Deputados Geraldo Resende (PSDB) e Tereza Cristina (DEM) estariam alinhados com o governo em relação à reforma (Foto: Montagem/Lucio Bernardo Jr./ Billy Boss/Câmara dos Deputados)

Os deputados federais sul-mato-grossenses Geraldo Resende (PSDB) e Tereza Cristina (DEM) confirmaram apoio à reforma da Previdência. Dessa forma, são três parlamentares que declararam voto favorável, três contrários e dois indecisos sobre projeto que será votado a partir de 19 de fevereiro. São precisos 308 votos para aprovação, mas governo tem 270.

"Minha decisão é votar favorável a reforma que corta privilégios e prepara para o futuro", pontuou Geraldo Resende, ao Campo Grande News, enquanto busca detalhes sobre o texto alterado para garantir votos pró-governo sem abrir mão de itens como idade mínima. 

Entre os parlamentares tucanos há pressão interna vinda do governador paulista e novo presidente nacional do PSDB, Geraldo Alckmin, para que o partido apoie a reforma da Previdência. A cúpula do partido, porém, enfrenta resistências para emplacar o texto.

Tereza Cristina, por sua vez, teve confirmada sua posição pela assessoria de imprensa em comunicado: "A deputada Tereza Cristina, é favorável à Reforma da Previdência".

Posicionamento se alinha ao defendido pelo ministro da Secretaria de Governo e deputado federal licenciado Carlos Marun (PMDB), que deve retornar à Câmara dos Deputados para votação. Isso depois de seu suplente, Fábio Trad (PMDB), declarar contrariedade ao projeto, em dezembro do ano passado, atribuindo déficit "a crônica má gestão da previdência".

Quanto aos prazos, Marun ressaltou que a proposta deve ser aprovada em fevereiro sob o risco de se perder a oportunidade de implementar a reforma. Na Câmara, haveria apoio de 270 dos 308 deputados necessários para aprovar o texto, enquanto no Senado 49 de 81.

Elizeu Dionizio (PSDB) e Luiz Henrique Mandetta (DEM)  aguardam texto final para definir voto (Foto: Montagem / Lucio Bernardo Junior / Câmara dos Deputados)Elizeu Dionizio (PSDB) e Luiz Henrique Mandetta (DEM) aguardam texto final para definir voto (Foto: Montagem / Lucio Bernardo Junior / Câmara dos Deputados)

Contrários - Votam contra a reforma, Dagoberto Nogueira (PDT), Vander Loubet (PT), bem como José Orcírio Miranda, o Zeca (PT). Estes ainda buscam influenciar indecisos a também rejeitar o texto e apostam na pressão de centrais sindicais nas bases para reverter votos favoráveis.

Indecisos – As constantes mudanças no texto da reforma estariam impondo a Elizeu Dionizio (PSDB) e Luiz Henrique Mandetta (DEM) uma espécie de impasse para se posicionar.

"Texto está descaracterizado. A sociedade não sabe o que está sendo votado e o governo está hesitando. Não acredito que venha votar e se vier a debate vai se arrastar com uma eleição no meio", declarou Mandetta, que justificou ser difícil definir voto contra ou a favor.

Em contrapartida, Dionizio esclareceu que era contrário ao primeiro texto apresentado pelo governo e aguarda os ajustes para se posicionar efetivamente. "Até onde consigo avaliar a Previdência precisa passar por reforma profunda sem preferir ou preterir a começar pelos poderes e não deixar nenhum com preferências", declarou, emendando ainda faltarem regras claras quanto a transição e sua aplicabilidade a cada tipo de atividade laboral.

Prazo para votar Previdência é “fevereiro, e ponto final”, diz Rodrigo Maia
O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou hoje (5) que concorda com o relator da reforma da Previdência, Arthur Maia (PPS-...
Em entrevista, Temer nega ter jogado a toalha pela reforma da Previdência
O presidente Michel Temer negou hoje (2) ter desistido da reforma da Previdência. Em entrevista ao programa RedeTV News, na noite desta sexta-feira, ...


Geraldo e Cristina vocês jamais voltarão a ocupar as cadeiras que hoje fazem de moeda de troca.
 
Palmares em 14/02/2018 11:59:44
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions