ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SÁBADO  18    CAMPO GRANDE 31º

Política

Governador dá “puxão de orelha” em secretariado para cumprir metas até 2022

Faltando 1 ano e meio para concluir mandato, Reinaldo Azambuja cobrou agilidade dos seus subordinados

Por Gabriela Couto | 03/08/2021 12:08
Reinaldo Azambuja convocou todos os secretários de Estado para cobrar metas dos contratos de gestão 2021. (Foto: Marcos Maluf)
Reinaldo Azambuja convocou todos os secretários de Estado para cobrar metas dos contratos de gestão 2021. (Foto: Marcos Maluf)

Durante duas horas da manhã desta terça-feira (03), todos os secretários do Estado e diretores de fundações e autarquias participaram da reunião de contrato de gestão com o governador Reinaldo Azambuja (PSDB). O encontro foi marcado por muita cobrança e puxões de orelha de quem está com as metas atrasadas.

“Governador é muito ativo nessas reuniões. Ele cobra duro”, revelou o secretário de Estado de Infraestrutura, Eduardo Riedel. Segundo ele, a cobrança maior para a principal pasta de entregas em Mato Grosso do Sul, é agilidade na confecção dos projetos e das obras.

Vale destacar que os contratos de gestão consistem em acordos assinados anualmente entre o governador e os secretários de Estado, nos quais são acordados indicadores e metas a serem cumpridos, assim como projetos e processos a serem executados pelos órgãos e entidades.

Na página da Segov (Secretaria de Estado de Governo), estão apenas a relação dos contratos da SES (Secretaria de Estado de Saúde), CGE (Controladoria-Geral do Estado) e PGE (Procuradoria-Geral do Estado) deste ano.

A secretária de Estado de Educação, Maria Cecília Amêndola da Motta, afirmou que a pasta dela só apresenta resultados no final do ano. “Tenho que apresentar os índices de aprovação, reprovação e formação”, justificou.

Já o secretário de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico, Jaime Verruck, assumiu que está com as metas ‘meio atrasadas’ e que levou uma bronca do governador. “Governador está sinalizando para fazer uma boa revisão de todos planos no sentido que nós temos 1 ano e meio de governo. Que se enquadre muito claramente o resultado de cada uma das ações. Só na Semagro, temos 38 projetos. É a pasta que tem maior número de projetos, por isso, o governador pediu que focasse muito no cumprimento de todos os prazos”, enfatizou.

Verruck revelou que Azambuja deu liberdade para os subordinados de reprogramar algumas metas e discutir com a área de planejamento, que é a Segov. “Porque chega final de período eleitoral e temos que entregar no dia 31 de dezembro tudo que prometemos. Ele fez uma cobrança correta e forte à todos os secretários, que entre para todas suas metas e verifique onde está o não cumprimento, se é financeiro, se é pessoal, o que tá faltando. Agora vamos voltar para a secretaria e fazer essa avaliação.”

De acordo com diretor-presidente da Fundesporte (Fundação de Desporto e Lazer de Mato Grosso do Sul), Marcelo Miranda, também foram apresentados os resultados da gestão. “Mas houve a cobrança de desempenho para que a gente consiga concluir o que foi planejado com cada contrato de gestão. Temos que fazer as entregas que foram prometidas nesse 1 ano e meio e aproveitar o momento bom nas contas do Estado para fazer as entregas para a população. O desafio foi lançado.”

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário