ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SÁBADO  18    CAMPO GRANDE 31º

Cidades

Atenção concurseiros: Estado fará novo certame para professores neste ano

Governo também anunciou envio de projeto de lei para dar aumento salarial da classe administrativa da educação

Por Gabriela Couto e Caroline Maldonado | 02/08/2021 09:37
Governador Reinaldo Azambuja (PSDB) anunciou melhorias para profissionais da educação durante acolhida de alunos no retorno das aulas presenciais (Foto Marcos Maluf)
Governador Reinaldo Azambuja (PSDB) anunciou melhorias para profissionais da educação durante acolhida de alunos no retorno das aulas presenciais (Foto Marcos Maluf)

Além das melhorias físicas na estrutura das escolas da REE (Rede Estadual de Ensino), o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) anunciou duas medidas importantes para o quadro de profissionais da educação do Estado.

“A escola é um todo. Não são só as reformas. Tem também a valorização dos professores. O Mato Grosso do Sul tem um dos maiores salários do país. Em outubro estou encaminhando um projeto de lei que contempla toda a classe administrativo, é um compromisso. E um novo concurso de professores para ampliar o número de profissionais”, garantiu.

O último concurso realizado pelo Estado contou com 15 mil inscritos, mas só teve 73 aprovados. A FETEMS (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul) espera que o governo convoque ao menos 4 mil aprovados no novo certame, que é o número de docentes que se aposentaram nos últimos anos. Também foi solicitado participação na comissão que irá realizar o concurso para evitar o mesmo problema da prova passada, em que o nível de dificuldade foi questionável.

Já o concurso para profissionais do administrativo foi realizou há dois anos, mas desde 2016 os profissionais recebem apenas abono salarial de R$ 200. “Além da incorporação do abono, queremos que o projeto de lei garanta a recuperação da inflação de 2019 até aqui. Lembrando que só vai entrar em vigor em janeiro em 2022”, afirmou o presidente da Fetems, Jaime Teixeira.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário