A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

17/03/2016 11:47

Governo tem de ser para o povo e não a serviço de uma facção, diz Reinaldo

Declaração é sobre crise e recentes notícias sobre o governo federal

Mayara Bueno
Governador do Estado, Reinaldo Azambuja (PSDB). (Foto: Chico Ribeiro/Governo do Estado)Governador do Estado, Reinaldo Azambuja (PSDB). (Foto: Chico Ribeiro/Governo do Estado)

“O governo tem de ser a favor do povo brasileiro e não a serviço de uma facção”, disse o governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB). A declaração é sobre a crise política no País e a repercussão da nomeação do ex-presidente, Luiz Inácio Lula da Silva, suspensa há pouco pela Justiça.

Em evento de formatura do curso de formação de cabos da Polícia Militar, na manhã desta quinta-feira (17), Reinaldo disse que o “desgoverno” faz com que todos os estados e a população sofram. “A presidente Dilma tem de parar de pensar no seu partido e olhar para o País, olhar para as pessoas. Temos de ter um governo a favor do povo brasileiro e não a serviço de uma facção. Lugar de corrupto é na cadeia”.

Ainda disse que é necessário superar o momento. "Todos os estados sofrem com esse desgoverno. Mato Grosso do Sul não é diferente. Nós precisamos virar esta página. O Brasil é muito maior que a crise", falou o governador.

Nesta quinta-feira, o País vive reviravoltas na política, com a posse de Lula na Casa Civil, sob protesto de manifestantes em Brasília e São Paulo – outros manifestos estão previstos ao longo do dia, inclusive em Campo Grande. Minutos depois, a justiça do Distrito Federal suspendeu a nomeação dele, com efeitos imediatos, alegando que há indícios de cometimento de crime de responsabilidade.

Isto tudo ocorre na semana em que a delação do senador Delcídio do Amaral (sem partido) foi homologada pelo STF (Supremo Tribunal Federal), gravações que sugerem a tentativa de compra do silêncio do parlamentar, por parte do governo, para evitar a colaboração premiada. Na quarta-feira (16), Lula resolveu aceitar o convite para assumir a Casa Civil, o que desencadeou protestos em pelo menos 16 estados.



continuando... apto de 400 m2 na Av. Foch em Paria por 13 milhões de Euros, a intermediação foi do esperto Guerra; no mesmo ano Eduardo Azeredo tentou a reeleição para Governador em MG, então ele se associou ao Marcos Valério (o mesmo operador do mensalão de 2005) e usou dinheiro público no escândalo que se chamou mensalão de Minas (ele foi condenado há pouco a 20 anos de prisão), Depois vieram o escândalo em SP do cartel dos trens (CPTM) entre 1998 e 2008 (Governo tucano), agora o escândalo das merendas, o Aécio (Presidente do seu partido) envolvido com o mensalão de Furnas, conta no Principado de Liechtestein e outras coisinhas mais como o helicóptero que foi pego pela PF naquela pista construída em Cláudia pelo Aécio com 450 quilos de cocaína (investigação em andamento pela FDA ,
 
Almir Damus em 17/03/2016 19:02:27
Que facção Sr. Governador? Haaa, já sei do PSDB, certo? Vou contar uma história para o Sr, no final de 1987 e começo de 1988 , um grupo de dissidentes do PMDB, Guerra (um publicitário espertíssimo de Pernambuco), Covas, Serra, Fernando Henrique se reuniam na sede da Empresa que eu trabalhava em São Paulo, na Rua Afonso Celso, 235 em São Paulo, no 6.andar (dependências do Dono da Empresa), eles eram conhecidos como turma do Sorbonne, porque o Fernando Henrique tinha dado aula naquela Universidade francesa; pois bem, 6 anos depois o FHC já era Presidente, quatro anos depois ele já sabia de todas as malandragens do Governo e nos papeis achados na casa do Delcídio existem documentos de uma doação da Petrobras ao Governo tucano de 100 milhões de dólares, com 10% desse valor FHC comprou um apto
 
Almir Damus em 17/03/2016 18:47:34
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions