A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 23 de Agosto de 2017

16/12/2014 20:13

Jerson Domingos diz que decisão do TCE/MS causa estranheza

Vania Galceran e Michel Faustino
Deputado Jerson Domingos diz que TCE/MS tem atitude rebelde. (Foto: Alcides Neto)Deputado Jerson Domingos diz que TCE/MS tem atitude rebelde. (Foto: Alcides Neto)

A indicação do deputado estadual Antônio Carlos Arroyo (PR), para ocupar uma das vagas de conselheiro do Tribunal de Contas do estado (TCE/MS), foi aprovada pela Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul (AL/MS) na sessão de terça-feira (16) . A proposta foi aprovada em única discussão. A vaga foi aberta com a saída do conselheiro José Ricardo Cabral, que foi aposentado voluntariamente conforme decreto publicado no Diário Oficial do estado (DOE) desta terça-feira (16). Mas o Tribunal de Contas vetou a publicação da aposentadoria do conselheiro José Ricardo .

O presidente da Assembléia Legislativa, Deputado Jerson Domingos (PMDB), conversou com o Campo Grande News agora há pouco durante a assinatura das emendas individuais dos municípios para o ano que vem e disse que o comportamento do (TCE/MS)Tribunal de Contas do Estado , causou estranheza. “ Me estranha a rebeldia na decisão do TCE em querer interferir na decisão do governador”, afirmou o presidente da Assembléia.

O deputado Jerson Domingos, comentou que o Tribunal está preterendo a vaga. É possível que este processo esteja sendo travado para que o governador eleito, Reinaldo Azambuja (PSDB) escolha no ano que vem, o nome do novo conselheiro. O deputado disse ainda, que  todos os processos legais para a indicação do Deputado Arroyo(PR) foi feito pela casa.

A proposta foi aprovada em única discussão.  A vaga foi aberta com a saída do conselheiro José Ricardo Cabral, que foi aposentado voluntariamente conforme decreto publicado no Diário Oficial do estado (DOE) desta terça-feira (16).

Impasse - A assessoria do Tribunal não confirmou a data de posse de Arroyo. Em nota, a Corte de Contas informou que a competência de analisar o ato administrativo de aposentadoria do presidente da Corte Fiscal é de seu substituto legal, e que o processo só será enviado para o governador após análise de pressuspostos legais e autorizativos do pedido'.

Histórico – O pedido de aposentadoria, que abre uma vaga na corte, foi apresentando em 25 de novembro. E, desde então, foi protagonista de diversas reclamações quanto à lentidão.

A demora provocou a exoneração do diretor de Gestão de Pessoas do tribunal, Nilton Leopoldino Rodrigues. A decisão ocorreu após reclamações dos deputado Jerson Domingos, em entrevista à imprensa, e Londres Machado (PR), que reclamou pessoalmente no TCE.

A lentidão do processo seria para que a nomeação ficasse para o próximo ano e o “ungido” fosse escolhido pelo governador eleito Reinaldo Azambuja (PSDB).
A aposentadoria de José Ricardo foi publicada na edição de hoje do Diário Oficial do Estado. Conforme o decreto 5.324, o conselheiro receberá proventos integrais e a aposentadoria tem validade a partir de hoje.

 

Câmara adia de novo votação da PEC que cria distritão e fundo eleitoral
Após várias tentativas de votação nesta terça-feira (22), a análise da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 77/03, que altera o sistema político-e...
Câmara aprova parcelamento de dívidas de Estados e municípios com o INSS
A Câmara dos Deputados aprovou na noite desta terça-feira, 22, em plenário, a medida provisória 778/2017, que permite Estados e municípios parcelarem...
Votação da PEC do fim das coligações será retomada nesta quarta-feira
A Comissão Especial da PEC 282/2016, que propõe o fim das coligações partidárias e estabelece cláusula de barreira, teve que suspender o processo de ...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions