A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

04/12/2015 13:36

João Rocha cobra de Bernal a escolha de líder e respostas aos requerimentos

Antonio Marques
O presidente da Câmara João Rocha pede que Bernal escolha logo seu líder na Casa para agilizar tramitação dos projetos do Executivo (Foto: Gerson Walber)O presidente da Câmara João Rocha pede que Bernal escolha logo seu líder na Casa para agilizar tramitação dos projetos do Executivo (Foto: Gerson Walber)

O presidente da Câmara Municipal João Rocha (PSDB) cobrou do prefeito Alcides Bernal (PP) a definição de seu líder na Casa o mais rápido possível para que os projetos do Executivo possa tramitar com mais agilidade. Bernal disse que na próxima semana deve escolher o vereador, mas não adiantou o nome. Os mais cotados são o vereador Derly dos Reis de Oliveira, o Cazuza, do mesmo partido do prefeito, e Luiza Ribeiro (PPS).

A conversa entre os dois chefes do poder Executivo e Legislativo aconteceu no gabinete da prefeitura no final da manhã desta sexta-feira e foi acompanhado do vereador Cazuza e do secretário de governo e vereador licenciado Paulo Pedra (PDT). A reunião, a portas fechadas, durou menos de uma hora e aconteceu a pedido do presidente da Câmara João Rocha. Os participantes atenderam a imprensa na recepção do gabinete ao término do evento.

João Rocha também cobrou que Alcides Bernal que responda aos requerimentos dos vereadores que estariam sem respostas e com os prazos regimentais já vencidos. Ele não soube precisar a quantidade de requerimentos respondidos, mas disse que mais de 50% já teriam chegado à Câmara. “O prefeito se comprometeu de responder”, comentou o presidente da Câmara Municipal.

Neste momento, o secretário Paulo Pedra interrompeu para dizer que restam seis requerimentos para serem encaminhadas respostas aos vereadores. Um dependeria de resposta da Seintrha (Secretaria de Infraestrutura, Transporte e Habitação) e outros dependem de informações que encheriam 20 caixas de papeis, o que daria mais de 20 a 40 mil cópias. “Vamos disponibilizar ao vereador para ele ir direto na Semed (Secretaria Municipal de Educação) para ter as informações solicitadas. Verificar todos os documentos que por ventura ele achar necessário”, afirmou, referindo-se a um requerimento do vereador Ayrton Araújo (PT), que pede esclarecimentos sobre o pagamento de produtos da merenda escolar.

Paulo Pedra disse acreditar que os vereadores vão entender a situação e os mais complexos, segundo o secretário de governo, vão ser respondidos “no mais tardar até segunda-feira”, considerando que na terça-feira tem sessão na casa.

Para o presidente da Câmara, as atitudes é que realmente falam. “Quando a gente está agindo, interagindo e produzindo os efeitos positivos que a população tanto espera demonstra que a cidade fique calma e tudo se transcorra da melhor maneira possível”, comentou.

O vereador Cazuza não quis revelar se será o líder do prefeito na Câmara, apenas disse que Bernal ficou de definir em breve, talvez na próxima semana. “O importante é saber que o Legislativo e Executivo tem o compromisso de trabalhar por Campo Grande. A partir daí se estabelece uma harmonia e a sociedade ganha com isso”, afirmou.

Bernal falou com os jornalistas depois que o presidente da Câmara deixou o local e disse que tem feito constantes pedidos para que aconteça a harmonia entre os dois poderes. Destacou que pediu a João Rocha para que os vereadores aprovem o PPA (Plano Prurianual) e que os percentuais de suplementação orçamentária da LOA (Lei Orçamentaria Anual) voltem a ter os mesmos patamares que os prefeitos anteriores a ele também tiveram. Também pediu para que os vereadores não transforme a peça orçamentária em uma colcha de retalhos, por conta de mais de mil emendas apresentadas.

Antes de Bernal assumir, o prefeito podia fazer suplementações ao orçamento até o índice de 30%, que caiu para 5% a partir de 2013. Acima desse percentual, o prefeito necessita de autorização dos vereadores. Para o prefeito, essa mudança prejudicou muito a administração municipal, “pois reduz a nossa capacidade de reação e acabou engessando a gestão”, reclamou, acrescentando que nunca aconteceu antes no município.

A Câmara Municipal divulgou no site na Internet, antes da reunião, que o PPA será votado próxima terça-feira, 8, e convocou sessão extraordinária para este mesmo dia, que vai ocorrer após a conclusão da sessão ordinária, considerando que são necessárias duas sessões para apreciação e aprovação do projeto. Essa medida abre caminho para analisar a LOA.

Questionado se o vereador Marcos Alex (PT) poderia ser o nome da liderança, Bernal foi categórico em dizer que, seu ex-líder na primeira parte do mandato, “não tem condições de ser líder. No meu governo ele não será líder”, afirmou. Para Bernal, Alex do PT teve comportamento agressivo e não dialogou com seu governo.

Bernal chegou a falar que ele próprio pode ir à Câmara para tratar direto com os vereadores e esclarecer os pontos questionáveis sobre qualquer projeto de lei do Executivo, dando a entender que ele não precisaria de líder na Casa para representar seu governo. “Precisa ter um líder. É fato que precisa, mas eu posso argumentar diretamente com o presidente e expor as dificuldades que os vereadores encontrem em algum projeto ou tenham alguma dúvida”, declarou.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions