A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

13/12/2012 16:39

Lídio diz que não teme ficar sem vaga na Assembleia Legislativa

Gabriel Neris e Luciana Brazil
Vereador Lídio Lopes é acusado de traição e fazer campanha contra partido (Foto: Divulgação)Vereador Lídio Lopes é acusado de traição e fazer campanha contra partido (Foto: Divulgação)

Primeiro suplente na coligação que elegeu Paulo Duarte (PT) como deputado estadual, o vereador Lídio Lopes diz que não teme perder a vaga no lugar do prefeito eleito de Corumbá, depois de ter sido expulso do PP (Partido Progressista) pela acusação de infidelidade partidária.

“O meu cargo está garantido, não fui eu que deixei o partido, foram eles que me expulsaram”, comentou nesta quinta-feira (13) o vereador durante sessão na Câmara Municipal de Campo Grande.

O parlamentar informou que ainda não recorreu da decisão do partido pelo fato de ainda não ter sido citado. “Para mim o processo de cassação é ato nulo. Como que condena alguém que não teve direito de se defender?”, questiona Lídio. “Se decidirem que tenho que sair, vou buscar meus direitos. Vou brigar para permanecer”, completa.

Além do vereador Lídio Lopes também foram expulsos do partido o diretor presidente da Emha (Empresa Municipal de Habitação), Paulo Matos, e o candidato a vereador, em Campo Grande, Pedro Antunes Braga.

Ontem o prefeito de Campo Grande, Nelson Trad Filho (PMDB), convidou o parlamentar e o secretário para integrarem o quadro do PMDB, dizendo que “eles estão nos planos para 2014”, ano que terá a escolha do novo governador.

O prefeito eleito Alcides Bernal (PP) afirmou ontem, durante encontro do PP na Câmara Municipal, que “o partido, para crescer, não pode ter gente traidora”. Bernal acusa Paulo Matos e Lídio Lopes de terem feito campanha contra ele escolha do novo prefeito.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions