A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

14/08/2013 15:14

Maior pacote de obras de André, “MS Forte” terá investimento de R$ 3,6 bi

Zemil Rocha
André lança pacote de obras amanhã à noite no Clube Estorial (Foto: Arquivo)André lança pacote de obras amanhã à noite no Clube Estorial (Foto: Arquivo)

O governador André Puccinelli (PMDB) lança, amanhã, o maior pacote de obras de seu governo. Em sua terceira edição, o “MS Forte” prevê investimentos de R$ 3,6 bilhões em obras e programas da ação nos setores educacional, de saúde e assistência social, entre outras áreas. Todas as obras a serem lançadas são de curto e médio prazos, devendo ficar prontas até o final de 2014.

Entusiasmado com a grandiosidade do pacote de obras, cujo prospecto lhe foi mostrado pelo governador, o presidente da Assembleia Legislativa do Estado, deputado Jerson Domingos (PMDB), enfatizou a dimensão histórica do lançamento, que acontece na quinta-feira, a partir das 20 horas, no Clube Estoril. “É o maior pacote de obras desde a divisão do Estado de Mato Grosso do Sul”, afirmou o parlamentar.

Metade dos recursos do “MS Forte-3” será destinada a obras do setor rodoviário. Segundo o secretário estadual de Obras, Edson Giroto, o investimento será de R$ 1,8 bilhão. Giroto explicou, em entrevista em meados do mês passado ao Campo Grande News: “O valor é a soma de R$ 1,2 bilhão, mais a contrapartida do Estado e o valor da pavimentação da BR-419, que liga Rio Verde a Aquidauana”. A implantação das rodovias, conforme o secretário,consumirá a maior parcela dos recursos, R$ 1,2 bilhão, enquanto a recuperação de dez rodovias demandará investimento de R$ 600 milhões.

O novo pacote de obras prevê o asfaltamento de mais 1.000 quilômetros de rodovias e a recuperação de 3.300 quilômetros de asfalto antigo.Dentro do programa está a duplicação das BRs 163, 262 e 267, além da implantação da ferrovia que irá ligar o Estado aos portos do sul do País. Com o asfaltamento de mais 1.000 km, o Estado terá completado a pavimentação de 2 mil km na gestão Puccinelli, totalizando 5.300 km de asfalto.

Com essas novas obras, ao encerrar o seu segundo mandato no final de 2014, o governo Puccinelli terá incorporado 70% mais estradas pavimentadas à malha rodoviária estadual do que havia quando seu antecessor, Zeca do PT, deixou ao finalizar seus oito anos de gestão. Considerando os mesmos parâmetros temporais comparativos, o peemedebista terá recuperado 80% das rodovias do Estado.

O lançamento oficial do pacote de obras acontece amanhã, mas as pavimentações e recuperações integrantes do plano já estão em execução. Já estão em obras, de acordo com o secretário, as rodovias MS-112, que liga Inocência a Cassilândia; a MS-040, que une Santa Rita do Pardo a Campo Grande; a MS-162, de Dois Irmãos do Buriti a Quebra Coco (Sidrolândia); a MS-274, ligando Deodápolis a Porto Vilma, no mesmo município; e a MS-430, que une São Gabriel a Rio Negro, entre outras.

Também ocorrerá a pavimentação das rodovias MS-040 e MS-320, incorporando uma vasta área de terras férteis do Estado, entre Campo Grande e as regiões do Cone-Sul e Bolsão, ao sistema produtivo. Algumas obras estão em execução, totalizando R$ 233 milhões, dentre as quais a ligação asfáltica Campo Grande-Rochedinho (MS-010).

Ao sul e a leste do Estado, a maior parte das obras são restaurações de pavimento. As outras regiões serão beneficiadas com asfaltamento de rodovias. Entre os maiores municípios contemplados com o pacote de obras estão Campo Grande, Dourados e Três Lagoas. Entre os menores, Juti, Figueirão e Paraíso das Águas, o 79º município de Mato Grosso do Sul, criado no ano passado.

Os benefícios abrangem ligações rodoviárias mais rápidas, encurtamento de trajetos, melhoria no sistema de escoamento da produção, fomento ao desenvolvimento regional e geração de impostos para os municípios. Nos cálculos do secretário, o pacote de obras rodoviárias de R$ 1,8 bilhão do “MS Forte” vai propiciar aos cerca de 25 a 30 municípios, por onde passarão as obras de asfaltamento e recuperação de rodovias, receita de R$ 36 milhões de ISS (Imposto Sobre Serviços), considerando a alíquota de 2%.

Habitação – Dentro do “MS Forte-3”, o governo do Estado vai lançar um programa de construção de 10 mil casas populares até o final de 2014. “São 10 mil agora e o governador ainda tem esperança de conseguir verbas para mais 10 mil”, informou o presidente da Assembleia, Jerson Domingos.

A meta da Secretaria de Estado de Habitação é chegar ao final do ano que vem com a entrega de 70 mil unidades habitacionais para famílias de baixa renda, reduzindo pela metade o déficit de moradias. “A nossa meta é chegar a 70 mil casas, o que representaria uma casa por hora, considerando que oito anos de governo são 70 mil horas”, afirmou o engenheiro Carlos Marum, titular da pasta.

Nestes seis anos e meio de governo de André Puccinelli, segundo Marum, o Estado viabilizou a construção de 60 mil moradias, 20 mil delas devendo ser entregues até o final deste ano, ao custo de cerca de R$ 30 mil por unidade. Quando todas as 60 mil unidades estiverem prontas, o governo terá investido R$ 1,8 bilhão nos seus projetos habitacionais implantados desde 2007, primeiro ano da gestão Puccinelli. Conforme o secretário, durante os oitos anos da gestão passado, governo de Zeca do PT, foram construídas 25 mil unidades habitacionais.

UEMS maior – O governo do Estado vai construir em Campo Grande unidade da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) e ampliar a sede da instituição em Dourados, com a construção de um bloco de laboratórios. Serão investidos R$ 48,5 milhões.

Presente em 15 municípios, a UEMS só não tinha sede própria em Campo Grande. A unidade da UEMS na Capital, com 16 mil metros quadrados e orçada em R$ 45 milhões, será erguida ao lado do Centro de Pesquisas da Agraer, na rodovia MS-080, saída para Rochedo. Quando a obra for concluída, a unidade da UEMS vai empregar 300 profissionais de ensino superior e atenderá 2,5 mil alunos e 24 mil usuários de serviços de saúde.

Em Dourados, na sede da UEMS, será construído um bloco didático de laboratórios, no valor de R$ 3,5 milhões, para atender aos cursos de ciências exatas, acabando com uma demanda de vários anos. Pelo menos 1.500 serão diretamente beneficiados com a implantação dos laboratórios, que propiciarão vagas para 50 profissionais.

Saúde - O governador também se comprometeu em aumentar em mais de 450% o repasse ano a ano aos municípios para atender a área de saúde



Investimento em Obras é importante, pois além de melhorar a qualidade de vida, ainda gera emprego e renda, porém o governo precisa, imediatamente, investir em outros setores públicos, inclusive já poderia lançar o MS Forte III, destinando recursos pra essas áreas que estão um "pouco" esquecidas.
 
Lucidio Souza em 15/08/2013 09:06:13
Parabéns governador! mato grosso do sul precisa se recuperar dos oito anos do governo do (ZÉCA DO PT),Sr. daniel tem gente passa pelo bósque e só enxerga lenha para a fogueira.
 
Marco antonio em 15/08/2013 08:35:18
Mais uma enganação estampada; a 163 já foi autorizada a privatização e não será gasto dinheiro público nela e terá pedágio. Nesse pacote que os enganadores admiraram, quantas piscinas olímpicas para a juventude? Que obra de interesse ao Esporte está aí? O que adianta fazer obras e não dar manutenção? Tudo está sendo feito em prol de propaganda. E O Aquário pantanal termina quando? Os próprios prédios do Parque dos poderes nunca foram reformados e pintados. Eu ninguém me engana.
 
luiz alves em 15/08/2013 07:51:18
Sr. Governador Vossa Excelência e o Sr. Secretario Giroto esqueceram da rodovia MS 352 Terenos a Ponte do Grego - Por quê não incluíram mais 40 km de asfalto no MS Forte 3? Existe alguma bronca contra os produtores e moradores daquela região? Ou existe ainda alguma esperança nesta gestão? Pobre dos usuários desta rodovia que sofrem com a falta de sensibilidade dos Senhores Governantes. Com a palavra essa nova Prefeita que meta a boca no trombone também, né Senhores Vereadores de Terenos ou vcs desconhecem a poeira atual e o lamaçal quando chove, haja oficina e dinheiro para consertar veículos. Ufa! Francamente só por Deus.
 
Walfrido Silva em 14/08/2013 21:42:42
Estão certos os comentários anteriores.... as BRs 262 e 267 seriam duplicadas com recursos privados já que seriam privatizadas e agora o Governo Federal Cancelou. Já a BR 163 será duplicada pela Empresa ganhadora da Concessão de Privatização... NÃO TEM NADA À VER COM GOVERNO DE COISA NENHUMA.... a única coisa que o Governo tá fazendo, é autorizar a privatização da 163 que irá encarecer os transportes, os frete e consequentemente os produtos de maneira geral. É muuuuuuuita propaganda pra pouca coisa. Ahh, outra coisa, aqui na fronteira mesmo, grande parte das UNIDADES HABITACIONAIS foram ocupadas por estrangeiros (paraguaios), já que nem tem munícipes suficientes para habitar a quantia de casas que foram disponibilizadas... Falta mais do que casa: EMPREGO, SAÚDE, EDUCAÇÃO, SEGURANÇA... :/
 
Patrick Erhart Pereira em 14/08/2013 21:27:28
PARABÉNS AO ESTADO DO MS. PARABÉNS AO GOVERNADOR ANDRÉ. UM HOMEM DE VISÃO. ESSE É O JEITO PMDB DE GOVERNAR.
E TEMOS QUE NÃO ERRAR DE NOVO (BERNAL TA AI GENTE) E VOTAR EM NELSINHO E SIMONE EM 2014 E DEIXAR DE INVENTAR MODA.
 
reinaldo rabelo em 14/08/2013 18:35:13
"Dentro do programa está a duplicação das BRs 163, 262 e 267"... ué, mas os trechos das BRs 262 e 267 não haviam sido excluídos do pacote de terceirização e, consequentemente, duplicação pelo Governo Federal? Se permanecem, fico feliz. Mas seria bom checar essa história...
 
Daniel Albuquerque em 14/08/2013 15:56:24
Mas a duplicação da BR-163 vai ser feito com dinheiro Privado, pois esta rodovia será concedida à iniciativa privada, o Governo não tem que colocar isso na conta. Além disso, as duplicações das BRs 262 e 267, que também seriam feitas com dinheiro privado, foram canceladas pelo Governo Federal. Somente a BR-163 será duplicada.
 
Paulo Medeiros em 14/08/2013 15:46:33
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions