A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

21/05/2016 21:23

Marco Feliciano repudia fala de colega de partido sobre mãe de Bernal

Nyelder Rodrigues e Alberto Dias

Visitando Campo Grande e igrejas neo-pentecostais da cidade neste fim de semana, o deputado federal Marco Feliciano (PSC-SP) repudiou a fala do vereador e colega de partido, Roberto Durães, que afirmou em plenário na Câmara Municipal conhecer "do silêncio dos edredons" a mãe do prefeito Alcides Bernal (PP) - posteriormente, ele se desculpou.

"Quando a questão passa para a ofensa pessoal, ela vai para o nível da esgotosfera. O debate em uma Câmara tem que ser um debate intelectual. Qualquer pessoa que ofenda, especialmente a mãe de alguém que sequer está presente, essa pessoa tem meu repúdio", dispara Feliciano, que nesta noite foi à Assembleia de Deus Missões, da rua Brilhante, bairro Amambai.

Feliciano é conhecido por suas polêmicas ao defender uma linha mais conservadora, protagonizando "guerras" com o movimento LGBT, como se mostrou a favor da "cura gay" para reverter a orientação sexual de uma pessoa. A mais recente polêmica do parlamentar foi defender o fim do Ministério da Cultura e falar para artistas irem procurar o que fazer.

O partido de Marco Feliciano, que é pastor, abriga também o candidato a presidência em 2014, Pastor Everaldo, e o deputado federal Jair Bolsonaro (RJ). Durões é o único representante da legenda na Câmara de Campo Grande, que conta na Assembleia Legislativa conta com o filiado Coronel Davi - suplente que assumiu no locar do chefe da Sejusp, José Carlos Barbosa.

"Os parlamentares do PSC são muito coerentes e educados. Já apresentaram denúncia contra mim, por exemplo, e eu fui absolvido porque sou uma pessoa equilibrada. Essa pessoa deve tomar um puxão de orelha do conselho de ética para que não aconteça isso de novo", revela Feliciano, acrescentando que deve haver avaliação se houve quebra de decoro no caso.

Durães - Ex-PT, partido pelo qual concorreu à vaga na Câmara em 2012, Roberto Durães era suplente de Thaís Helena, assumindo a cadeira após a cassação da petista pelo TRE (Tribunal Regional Eleitoral). Ele saiu do PT, ficou um período sem partido e, já como vereador, se filiou ao PSC.

No início do mês, o vereador pediu a palavra e falou em tribuna que conhecia a mãe de Bernal "do silêncio dos edredons". O fato causou revolta em muitas pessoas, que inclusive realizaram protestos na Casa de Leis. Paralelamente a essa questão, houve também uma confusão envolvendo servidores públicos e o radialista Elson Pinheiro.

Roberto Durães chegou a pedir desculpas sobre a situação e ficou duas semanas sem comparecer à Câmara, que também não abriu nenhum procedimento para apurar se houve ou não quebra de decoro ou qualquer outra irregularidade na conduta do parlamentar, argumentando que houve um pedido de desculpas dele.

Ainda assim, o Alcides Bernal, claramente insatisfeito com a situação, pediu a cassação do vereador do PSC e ainda registrou um boletim de ocorrência contra ele na Casa da Mulher Brasileira. "É inadmissível que um parlamentar utilize a tribuna para fazer esse tipo de comentário", comentou na ocasião o prefeito.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions