ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, TERÇA  22    CAMPO GRANDE 17º

Política

Marquinhos pede a presidenciáveis aumento nos repasses federais a municípios

“Diálogo com Presidenciáveis” reúne representantes de 100 municípios durante a Reunião Geral da Frente Nacional dos Prefeitos

Por Gabriel Neris | 08/05/2018 14:37
Prefeito Marquinhos Trad participa de reunião com presidenciáveis em Niterói (Foto: PMCG/Divulgação)
Prefeito Marquinhos Trad participa de reunião com presidenciáveis em Niterói (Foto: PMCG/Divulgação)

Durante o encontro realizado com os presidenciáveis nesta terça-feira (8), em Niterói (RJ), o prefeito Marquinhos Trad (PSD) cobrou maior repasse do governo federal aos municípios. Segundo ele, os recursos destinados não são compatíveis com o crescimento populacional.

O “Diálogo com Presidenciáveis” reúne representantes de 100 municípios durante a Reunião Geral da Frente Nacional dos Prefeitos. “Atualmente existe um gasto excessivo dos municípios com a educação, saúde, segurança e outras demandas essenciais, mas o governo federal não faz o repasse conforme essa crescente populacional. Apresentamos aos pré-candidatos essa realidade. Diminuiu bastante o repasse da União”, disse Marquinhos.

“Neste sentido, a pauta da maioria dos prefeitos é a mesma: um apoio maior do governo federal com a questão dos recursos. Queremos um Brasil mais voltado aos municípios do que para Brasília. Queremos um Brasil com menos Brasília e mais Brasil”, completou.

O documento entregue para cada pré-candidato prioriza saúde, educação, segurança, emprego e o pacto federativo. Entre 2002 e 2016, a União diminuiu a participação da saúde de 60,6% para 43,1%. Já na educação, o investimento da União na educação apresentou queda de 10%.

Foram convidados para participar do evento os pré-candidatos filiados a partidos com ao menos cinco congressistas: Rodrigo Maia (DEM), Manuela D’Ávila (PCdoB), Geraldo Alckmin (PSDB), Guilherme Afif Domingos (PSD), Marina Silva (Rede), Álvaro Dias (Podemos), Ciro Gomes (PDT), Guilherme Boulos (PSOL), Aldo Rebelo (SD), Paulo Rabello (PSC) e Henrique Meirelles (MDB).