A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

13/08/2013 18:31

Meta do André é ter construído "uma casa por hora" em oito anos

Zemil Rocha
A meta do Estado é entregar 70 mil casas até o final de 2014 (Foto: Arquivo)A meta do Estado é entregar 70 mil casas até o final de 2014 (Foto: Arquivo)

A meta da Secretaria de Estado de Habitação é chegar ao final do ano que vem com a entrega de 70 mil unidades habitacionais para famílias de baixa renda, reduzindo pela metade o déficit de moradias. “A nossa meta é chegar a 70 mil casas, o que representaria uma casa por hora, considerando que oito anos de governo são 70 mil horas”, afirmou o engenheiro Carlos Marum, titular da pasta. “É um feito inédito, muito relevante num Estado que tem população pequena, em relação ao País”, enalteceu.

Nestes pouco mais de seis anos e meio de governo de André Puccinelli, segundo Marum, o Estado viabilizou a construção de 60 mil moradias, 20 mil delas devendo ser entregues até o final deste ano, ao custo de cerca de R$ 30 mil por unidade. Só neste ano de 2013, a meta é contratar 10 mil casas, sendo que 60% disso já foi assinado. Quando todas as 60 mil unidades estiverem prontas, o governo terá investido R$ 1,8 bilhão nos seus projetos habitacionais implantados desde 2007, primeiro ano da gestão Puccinelli.

Indagado sobre a quantidade de moradias construídas nos oito anos do antecessor de André, o atual vereador Zeca do PT, o secretário informou que foram construídas 25 mil casas. “Hoje temos obras de 20 mil casas em andamento ou contratadas em todos os 79 municípios do Estado, além do que já foi entregue”, destacou Marun. Só em Campo Grande, neste ano, 5 mil unidades estão em construção.

Déficit 50% menor - Quando recebeu o Estado, o atual governo teria herdado um déficit habitacional de 80 mil unidades, segundo Marun. “Com 70 mil moradias, vamos reduzir pela metade o déficit, ficando em torno de 40 mil unidades, que hoje são casas e apartamentos”, explicou o secretário.

O foco de atuação é a população de baixa renda, que ganha até três salários mínimos por mês. Como a média é de quatro pessoas por casa, as 60 mil moradias beneficiam 240 mil pessoas. “Se essas casas tivessem sendo construídas só no mesmo local, seria a segunda cidade do Estado”, comparou Marun. “Considerando que são 40 metros quadrados por casa, totaliza 800 mil metros quadrados de área construída hoje ou 80 hectares de área coberta”, continuou.

Questionado sobre a fonte dos recursos que estão garantindo esse avanço habitacional, Carlos Marun admitiu que o “governo federal é grande parceiro nesse processo”, através do programa Minha Casa, Minha Vida. “Mas sem dúvida, o governador André priorizou mais habitação do que qualquer governo anterior em Mato Grosso do Sul, colocando contrapartida”, garantiu o secretário.

Interlocução – Como presidente do Fórum Nacional de Secretários de Habitação, Carlos Marum considera que a interlocução para a conquista de verbas e projetos federais ficou muito facilitada. “Isso faz com que a gente consiga trazer benefícios de maior monta para o Estado”, disse.

Exemplo da importância dessa proximidade com o governo federal é que amanhã Marun vai estar em Brasília discutindo com autoridades do Ministério das Cidades e da Caixa Econômica Federal a regulamentação de um novo subprograma do “Minha Casa, Minha Vida”, que é destinado a municípios com população até 50 mil mil habitantes. “Podendo participar de discussão dessa forma, isso nos dá uma posição privilegiada nesse processo”, explicou.

Outros dois fatores relevantes, conforme Marun, são a “disposição do governador André em investir em habitação popular” e a parceira dos municípios.

 

Presidente Michel Temer deve ter alta na manhã desta sexta-feira
O presidente Michel Temer deverá ter alta hospitalar na manhã desta sexta-feira (15), informou o médico Roberto Kalil Filho, que coordena os cuidados...
Interrogatório de Lula na Operação Zelotes é marcado para fevereiro de 2018
A Justiça Federal em Brasília marcou para o dia 20 de fevereiro de 2018 os interrogatórios do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e de seu filho ...
Senado aprova desconto de dívidas de produtores rurais e texto segue para sanção
O Senado concluiu a votação, nesta quinta-feira (14), do projeto que permite a renegociação das dívidas de produtores rurais, estabelecendo descontos...


EU GOSTO DO GOVERNADOR!!
PRINCIPALMENTE QD TAVA TENDO AQUELES ATAQUES A CARROS(Q ESTAVAM SENDO QUEIMADOS) O TIPO MANDA LINCHAR... OS BANDIDOS KKK
EH ISTO AI ANDRE SE TU SE CANDIDATAR DE NOVO MEU VOTO EH SEU
 
maria helena ferreira em 14/08/2013 10:46:19
26 anos tentando uma casa e nada, essas casas deveriam ser pra quem precisa, estão servindo pra comércio, pra politicagem.
 
claudenir a a angelo em 14/08/2013 10:26:20
Sou morador de Corumbá do Residencial Guató no qual o Sr Governador André juntamente com o Sec. Marum entregaram na primeira etapa 435 casas das 1.200 que estão sendo construídaS aqui em Corumbá, no qual a sra. nazil de campos esta enganada ou sem informação.
 
Marcos Ferreira Gomes em 14/08/2013 09:42:43
Muitas dessas casas tem muita gente que ganha e vende por bem pouco, outros tem carro do ano e consegue casa e quem precisa como eu e outras pessoas que tem anos de cadastro na AGEHAB e EMHA ficamos pagando aluguel ao invés de pagar nosso próprio canto.
 
Willian Lucas G Rocha em 14/08/2013 09:28:02
Em Corumbá o cão é de pedra, não dá pra fazer esgoto com baixo custo, então a caixa não libera o financiamento (sem esgoto) a solução mais viável é abandonar o projeto.
 
joao de deus em 14/08/2013 09:19:13
Pena que esse governador com 6 anos não terminou as "famosas casas" em CORUMBÁ - MATO GROSSO DO SUL, certo?!?!?!
CORUMBÁ faz parte de Mato Grosso do Sul e NÃO de outro Estado.
Sr. governador aguardamos as "suas casas" que até hoje não foram entregues e nem terminadas.
Abraços da POPULAÇÃO DE CORUMBÁ - MATO GROSSO DO SUL.
 
Nazil de Campos em 14/08/2013 01:14:08
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions