ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, TERÇA  11    CAMPO GRANDE 30º

Política

MP Eleitoral também denuncia Coronel David por propaganda em outdoors

Placas publicitárias divulgadas em julho de 2017 destacavam imagem de candidato ao lado do presidenciável Jair Bolsonaro; multa solicitada é de R$ 175 mil

Por Humberto Marques | 27/07/2018 15:20
David é apoiador de Bolsonaro em MS e figurou em outdoor ao lado de presidenciável. (Foto: Arquivo)
David é apoiador de Bolsonaro em MS e figurou em outdoor ao lado de presidenciável. (Foto: Arquivo)

O Ministério Público Eleitoral apresentou denúncia contra o quarto político por uso de outdoors em propaganda eleitoral. Desta vez, o alvo é o pré-candidato a deputado estadual e coronel da Polícia Militar Carlos Alberto David dos Santos, o Coronel David (PSL), que divulgou sete placas publicitárias destacando visita do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) ao Estado entre 10 e 23 de julho do ano passado. A Procuradoria pede aplicação de multa de R$ 175 mil.

Além do Coronel David, o MP Eleitoral já fez representações contra o candidato a senador Chico Maia (Podemos), o agora candidato a governador Sérgio Harfouche (PSC) e ao também concorrente ao Executivo estadual, o juiz aposentado Odilon de Oliveira (PDT). Todos foram autuados pelo uso de outdoors no período de pré-campanha, modalidade de publicidade proibida pela legislação.

Segundo o MP Eleitoral, David patrocinou a veiculação de peça publicitária com a imagem do pré-candidato ao lado de Bolsonaro com o texto “Bolsonaro. O mito está chegando”, além de sua própria logo.

A empresa responsável por locar os espaços informou que foram veiculados sete outdoors entre 10 e 23 de julho de 2017, ao custo de R$ 500. Contudo, uma concorrente apresentou nota fiscal comprovando prestação de serviço equivalente por R$ 1,5 mil por painel, perfazendo R$ 10,5 mil.

Via assessoria, o Coronel David informou que ainda não foi notificado sobre a denúncia, e apenas se pronunciará após ter conhecimento do teor da representação do MP Eleitoral.

Procuradoria Eleitoral já denunciou 4 candidatos pelo uso de outdoors. (Foto: Arquivo)
Procuradoria Eleitoral já denunciou 4 candidatos pelo uso de outdoors. (Foto: Arquivo)

Representações – O MP Eleitoral confirmou ter denunciado também Odilon de Oliveira e o PDT, pela veiculação de outdoors entre 30 de outubro e 12 de novembro de 2017 para convidar a população a participar do ato de filiação do juiz aposentado ao partido. A propaganda foi exibida em 30 placas, ao custo de R$ 27 mil, e em três painéis de LED entre 1º e 11 de novembro.

A assessoria do PDT salienta que o partido vai se defender na Justiça alegando que a própria lei eleitoral não proíbe a iniciativa, já que há precedentes nos quais foi negado pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) pedido para retirada de outdoors de Bolsonaro na Bahia e de outros pré-candidatos do país. Além disso, frisa que as publicações envolvia convite e que a menção a uma pretensa candidatura e exaltação de qualidades dos pré-candidatos não configuram propaganda eleitoral antecipada.

Outdoors também resultaram em denúncias contra Sérgio Harfouche –envolvendo um programa televisivo apresentado pelo procurador de Justiça, no qual as exibições de sua imagem e marca pessoal foram contestada– e de Chico Maia, que se valeu do expediente para divulgar o nome em meio a campanha de arrecadação de fundos e palestras.

Maia já foi alvo de condenação prevendo multa também de R$ 25 mil por dia para cada outdoors que não fosse retirado. Já o pedido contra Harfouche teve liminar indeferida, tendo o mérito apreciado pelo TRE (Tribunal Regional Eleitoral) em sessão em 1º de agosto.

Veto – Segundo o MP Eleitoral, a propaganda via outdoor fere a igualdade de chances em relação a candidatos que não dispõem dos mesmos meios de promoção. Essa modalidade de publicidade é proibida por conta do alto custo, que representa desequilíbrio em favor de quem detém maior poder econômico e de seu alto impacto visual.

A Procuradoria também avalia que, como a prática é vedada durante a campanha eleitoral, também deve ser proibida na pré-campanha, seguindo entendimento do próprio TSE.

* Matéria alterada às 16h48 para acréscimo de informações referentes ao posicionamento do candidato Coronel David.